Maratonista neozelandês continuará no Quênia mesmo com o fim do lockdown - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Maratonista neozelandês continuará no Quênia mesmo com o fim do lockdown

Compartilhe

O maratonista da Nova Zelândia Daniel Jones disse que deseja prolongar sua estadia no Quênia durante o período de isolamento social, para ajudar nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 adiados para o ano que vem.

Originalmente marcado para uma estadia de cinco semanas no país da África Oriental, Jones enfrentou um dilema quando os países começaram a fechar fronteiras devido à pandemia do novo coronavírus.

Em vez de voltar para casa, o jovem de 29 anos optou por ficar na reverenciada cidade de Iten, um paraíso para corredores de longa distância em todo o mundo, e agora mora lá por três meses. Falando com o canal neozelandês Newshub, Jones disse que definitivamente sente falta de sua vida em casa, mas sabe que valerá a pena o sacrifício.

"Sinto falta do meu parceiro na Nova Zelândia, mas, a longo prazo, acho que será muito benéfico para a minha corrida e se isso me ajudar a colocar o singlet da Nova Zelândia, então vale a pena", disse ele.

Ele procurará se juntar a Kiwis Zane Robertson e Malcolm Hicks, que têm o tempo de qualificação para o Tóquio 2020 depois de correr dentro de duas horas e 11 minutos e 30 segundos. Com o Jogos adiados para o próximo ano, Jones tem mais tempo para atingir o padrão.

No entanto, ele terá que cortar cerca de cinco minutos do seu melhor pessoal para fazer parte da equipe, depois de correr 2:16:15 em Gold Coast, na Austrália, em julho. Robertson, que se beneficiou do treinamento em Iten, falou muito bem do potencial de Jones. "Dan é geneticamente talentoso, ele é muito humilde, mas também acredita em si mesmo. Ele tem coragem e atitude para fazer isso".

Foto: NZ Herald

Nenhum comentário:

Postar um comentário