Judoca campeão mundial arrecada mais de R$ 800 mil em leilão de combate ao coronavírus - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Judoca campeão mundial arrecada mais de R$ 800 mil em leilão de combate ao coronavírus

Compartilhe

Atual campeão mundial nos meio-médios, o judoca Sagi Muki já era visto como um herói pelo povo israelense por seus feitos esportivos, mas sua imagem ganhou nova admiração nesses tempos de crise, dessa vez pelo lado humanitário. O atleta realizou um leilão de itens pessoais e arrecadou cerca de U$ 145 mil (R$ 818 mil) de fundos para auxiliar no combate ao coronavírus.

Toda a quantia será destinada à compra de cinco respiradores e equipamentos médicos para o hospital em que nasceu, o Centro Médico de Laniado, em Netanya, Israel. A ajuda poderá diminuir o número de mortes pelo coronavírus no país, que atualmente é de 238. Mais de 16.300 casos já foram confirmados.

"Depois do meu título mundial, fiquei muito emocionado com todas as expressões de celebração e admiração que recebi. Eles estavam obviamente ligados à minha medalha e, de repente, eu pude retribuir e colocar minha imagem a serviço de uma causa que envolve todos nós, o bem-estar da humanidade", relatou o judoca ao site da Federação Internacional de Judô (IJF).

Os objetos à venda incluíram sessões de treinamento pessoal comandadas por Muki, fotografias autografadas do Campeonato Mundial, um vídeo pessoal agradecendo ao doador, roupas, faixas e placas de competição. O item mais caro da lista foi o traje utilizado no Mundial de 2019, com a faixa preta e uma dedicatória pessoal, vendida por cerca de R$ 300 mil reais. O comprador da cara peça pediu que Muki ficasse com ela.

Inicialmente, o israelense ficou bastante abalado com a chegada do coronavírus e ainda mais chateado com o adiamento da Olimpíada de Tóquio, que agora acontecerá entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021, uma vez que chegaria como o atual campeão mundial este ano e vinha treinando forte.

No entanto, logo deixou a tristeza pra trás e percebeu a gravidade da situação. "Quando comecei a entender o que estava acontecendo, coloquei minha frustração no bolso e me coloquei a serviço da comunidade.

"Eu fui tocado em meu coração por tanta generosidade. Percebi então que sim, o vírus havia interrompido minha vida, mas para outros havia sido deles", disse Muki.

Outros atletas também já demonstraram atos de solidariedade durante a difícil crise sanitária do coronavírus. Assim como Muki, a nadadora italiana Federica Pellegrini realizou um leilão pessoal que arrecadou R$ 378 mil. Os também nadadores Adam Peaty (GBR) e Katinka Hosszu (HUN) doaram milhares de dólares a hospitais de seus países, assim como o fizeram jogadores de futebol, entre outros esportistas.

Foto: Reprodução







Nenhum comentário:

Postar um comentário