Bouygues SA ganha concessão para construir Centro Aquático de Paris 2024 mesmo com aumento nos custos da obra - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Bouygues SA ganha concessão para construir Centro Aquático de Paris 2024 mesmo com aumento nos custos da obra

Compartilhe

O grupo liderado pelo conglomerado empresarial francês Bouygues S.A. ganhou o processo de licitação para construir o Centro Olímpico Aquático (CAO, sigla em inglês) dos Jogos Olímpicos de 2024 em Paris. O custo da obra é previsto em 174 milhões de euros, o que gerou polêmica, devido o aumento substancial. O orçamento anterior dava indícios que seriam gastos 111,2 milhões de euros. 

A Solideo, empresa pública que supervisiona o desenvolvimento dos locais de eventos e os gastos com os Jogos Olímpicos, apontou que a inflação no orçamento do CAO são efeitos causados pela atual situação econômica da construção civil na França. Além disso, serão investidos mais de 20 milhões de euros na construção de um parque público junto ao Centro Aquático, que ficará como um dos legados da Olimpíada.

Foto: Venhoven CS
O plano é construir o CAO em frente ao Stade de France. Foi revelado pela Metrópole da Grande Paris (MGP), proprietária das instalações, que a proposta do Bouygues foi escolhida por suas qualidades arquitetônicas, sua funcionalidade e o baixo impacto ambiental. 

A obra será composta seguindo um conceito inédito na história dos Jogos Olímpicos. Uma piscina de 70 metros será instalada com uma plataforma móvel que servirá para dividi-la em duas. Uma outra piscina, de 50 metros, será instalada para treinamentos. O CAO terá capacidade para receber até 6 mil pessoas durante as Olimpíadas e reduzirá para 2,5 mil pessoas após o evento.

A obra deverá ser realizada em 26 meses, incluindo a criação de uma passarela que ligará o complexo aquático ao Stade de France. A previsão é que as obras comecem no verão europeu de 2021 (entre junho e setembro). 

Essa não será a única inovação das Olimpíadas de 2024. O Comitê Olímpico Internacional (COI) aprovou o desenvolvimento de uma arena provisória na Praça da Concórdia, para aproximadamente 35 mil pessoas. A intenção é "proporcionar uma nova experiência e atrair novos públicos", como afirmou a entidade. 

Foto: Venhoeven CS

Nenhum comentário:

Postar um comentário