Ministro de Esportes da Rússia quer que sanções impostas ao país sejam esquecidas após pandemia - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Ministro de Esportes da Rússia quer que sanções impostas ao país sejam esquecidas após pandemia

Compartilhe

O ministro de Esportes da Rússia, Oleg Matytsin, quer que a exclusão de quatro anos das principais competições esportivas internacionais, imposta pela Agência  Mundial Antidoping (Wada)  ao país, seja desconsiderada após a pandemia do coronavírus. As informações são da Associated Press.

Em uma conferência online realizada na última sexta-feira, 10, Matytsin disse que as autoridades internacionais deveriam "virar a página" após a pandemia e esquecer das sanções impostas à Rússia.

"Os líderes do Comitê Olímpico Internacional, a Agência Mundial Antidoping e os juízes que decidirão a decisão devem entender que agora estamos vivendo em condições completamente diferentes e que esta crise que foi criada deve provavelmente chegar ao fim. Vire a página e entenda que o principal agora é estarmos juntos", afirmou o ministro.

"Quando você vê que todo mundo está isolado e todo mundo está em casa, a consciência muda, a mentalidade muda e as pessoas entendem que agora há prioridades e existem problemas que perdem a força", acrescentou o político, referindo-se à exclusão russa.

Segundo Matytsin, sancionar a Rússia prejudicaria o movimento olímpico, podendo "quebrá-lo". O ministro indicou que, quando a pandemia ficar pra trás, a Rússia se oferecerá para receber mais eventos esportivos internacionais caso outros anfitriões não se sintam na segurança de fazê-lo.

"A Rússia agora está totalmente comprometida com a proteção de atletas limpos e a promoção de esportes limpos", destacou o ministro. Ele lembrou que o Ministério do Esporte nada tem influência na pendência do caso, mas acredita que os atletas e a nação russa estão se dedicando para prestar serviços ao esporte limpo no mundo após a situação.

Doping
A Rússia foi excluída das principais competições esportivas internacionais, incluindo Mundiais, Copas do Mundo FIFA e Olimpíadas, até 2023. A decisão foi tomada pela Agência Mundial Antidoping (Wada) no ano passado, após adulteração de informações envolvendo testes antidoping.

O país europeu já entrou com recurso e a Corte Arbitral do Esporte (CAS) deve decidir se a proibição é válida ou não. No momento, as audiências estão suspensas por causa da crise sanitária mundial. Caso a Rússia não seja inocentada, os atletas russos só poderão competir sob bandeira neutra nas Olimpíada de Tóquio caso se provem "limpos".

Foto: Jim Young/REUTERS

Nenhum comentário:

Postar um comentário