Rússia confirma oficialmente apelação contra as sanções da WADA


A Rússia deu entrada, nesta sexta-feira, com recurso contra o banimento de competições esportivas internacionais imposto ao país pela WADA.

A RUSADA, agência anti-doping russa, enviou um pedido formal ao CAS, demonstrando sua discordância com as sanções propostas pela Agência Mundial Anti-Doping.

Uma carta do CEO da RUSADA, Yuri Ganus, também foi anexado ao requerimento formal. Ele é crítico das autoridades russas e discordou da decisão de apelar às sanções. Anteriormente, já havia dito que qualquer tentativa de recurso teria uma mínima chance de ter sucesso e ser aceita pelo CAS.

"A RUSADA contesta a notificação na íntegra, incluindo a afirmação de não conformidade da WADA, os (supostos) fatos em que essa afirmação se baseia, bem como as sanções e condições de reintegração estabelecidas na notificação, todas improcedentes", diz uma das passagens escritas pelo secretário-geral.

No começo de dezembro, a WADA baniu a Rússia de todas as competições esportivas pelos próximos quatro anos. Assim, nem o nome, nem a bandeira e nem o hino russo poderão participar de Olimpíadas ou Mundiais até 2023. 

Os atletas russos só poderão competir sob bandeira neutra se comprovarem estarem livres de doping. Ainda assim, a situação gerou revolta em algumas entidades, como a Agência Anti-Doping dos Estados Unidos, que queria proibição total dos atletas russos.

O caso ganhou tamanha repercussão que envolveu líderes políticos. Vladimir Putin, presidente da Rússia, se mostrou indignado com a punição do país e a considerou injusta. "Eu acho que não é apenas injusto, mas não corresponde ao bom senso e à lei”, disse Putin.

Após o envio do requerimento, um júri de três árbitros será formado e julgará a situação. O veredito do caso deve sair dentro de 3 meses.

Foto: AP
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top