Ícaro Miguel e Milena Titoneli garantem mais duas vagas no taekwondo de Tóquio-2020 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Ícaro Miguel e Milena Titoneli garantem mais duas vagas no taekwondo de Tóquio-2020

Compartilhe

Após conseguir sua primeira vaga em Tóquio-2020 com Netinho (68kg), o taekwondo brasileiro confirmou o favoritismo e emplacou mais duas classificações olímpicas nesta quinta-feira, 12. Milena Titoneli (67kg) e Ícaro Miguel (80kg) precisaram vencer duas lutas cada um, no Pré-Olímpico das Américas, realizado em Heredia, na Costa Rica, para ratificarem suas idas ao Japão. Talisca Reis (49kg) não conseguiu a qualificação.

Campeã dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, Milena Titoneli sobrou em sua categoria. Ela dominou a peruana Eliana Vasquez e venceu por superioridade técnica na primeira rodada, com placar final em 22 a 0. Na semifinal, a brasileira passou por Arlettys Acosta, de Cuba, por 7 a 5, numa reedição do Pan de Lima. A outra qualificada da categoria foi Aliyah Shipman, do Haiti.

Com 21 anos, Titoneli é atual 11ª colocada do ranking mundial na categoria até 67kg. Além do ouro em Lima-2019, a brasileira conquistou a medalha de bronze no Mundial de Taekwondo de 2019.

Fazendo uma temporada espetacular em 2020, Ícaro Miguel confirmou seu favoritismo e garantiu a vaga a Tóquio após vencer Isiah Pollard, de Trinidad e Tobago, por 22 a 3, e Miguel Ferrera, de Honduras, por 33 a 10. Do outro lado da chave, o dominicano Moises Hernandez garantiu a outra vaga da categoria até 80kg.

Com 24 anos, Ícaro chega como mais uma grande chance de medalha em Tóquio. Em 2019, foi medalhista de prata no Mundial e no Pan de Lima, além de ter sido bronze no Grand Prix de Sofia. Só nesta temporada conquistou três medalhas - sendo duas de ouro - em três competições disputadas.

Talisca Reis, outra medalhista de prata do Pan de Lima, entrou como cabeça de chave número 1, ficou muito perto, mas não conseguiu a classificação aos Jogos do Japão. Logo na primeira luta, sofreu para bater a arubana Monica Pimentel. Chegou a estar perdendo por 4 a 2 restando 11 segundos para o fim da luta, mas conseguiu a virada nos instantes finais e venceu por 7 a 4.

Na luta decisiva, a 12ª colocada do ranking mundial na categoria até 49kg perdeu da porto-riquenha Victoria Stambaugh, por 5 a 4, e acabou sem a vaga a Tóquio. A colombiana Andrea Ramirez também  surpreendeu e conseguiu o segundo lugar na final. Atual campeã pan-americana, a mexicana Daniela Souza foi eliminada nas quartas.

Na única categoria do dia sem representantes brasileiros, a 58kg masculina, Jefferson Ochoa, da Colômbia, e Lucas Guzman, da Argentina, se classificaram para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Com as vagas conquistadas nesta quinta, o Brasil encerrou o torneio americano com 75% de aproveitamento. Três dos quatro atletas que foram à Costa Rica conseguiram voltar com a classificação assegurada. Vale lembrar que o regulamento do taekwondo permite que um limite de dois atletas de cada país, por naipe, participem dos eventos qualificatórios continentais.

Sob o olhar dos brasileiros, as regras causaram um pouco de desconforto. Maicon Siqueira, por exemplo, que fez história na Rio-2016 ao conquistar a medalha de bronze na categoria acima de 80kg, ficou de fora da convocação e não pôde defender sua medalha em Tóquio.

O taekwondo olímpico de Tóquio-2020 terá 16 atletas em cada categoria. Para conseguir o ouro, é necessário bater quatro adversários. Vencer a primeira luta já assegura ao menos um lugar na repescagem e a oportunidade de conquistar um bronze. Até por isso, os brasileiros chegam com grandes chances de pódio, uma vez que estão entre os melhores de suas categorias no ranking mundial.

Foto: Divulgação/CBTKD

Nenhum comentário:

Postar um comentário