Faltando 10 meses para Tóquio 2020, COB realiza mais uma vistoria em bases no Japão - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Faltando 10 meses para Tóquio 2020, COB realiza mais uma vistoria em bases no Japão

Compartilhe

Faltando pouco mais de 10 meses para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) intensifica o trabalho de preparação das bases que receberão o Time Brasil, seja durante a aclimatação, seja durante o período de competição. Por isso, 11 profissionais do COB iniciaram nesta segunda-feira, dia 23, uma série de vistorias nas oito bases no Japão, além de ajustar os serviços oferecidos antes e durante os Jogos Olímpicos. Haverá também todo o apoio à equipe masculina de vôlei, na cidade de Ota, de 25 a 29 de setembro, em preparação para a Copa do Mundo da modalidade.

"Estamos num momento em que já definimos todas as bases, fizemos diversos testes operacionais e agora precisamos detalhar as ações. A ideia é que cada área pegue as últimas informações localmente, junte a todos os feedbacks das modalidades que passaram pelas instalações até agora, e consolide um planejamento detalhado em termos de operação e infraestrutura nas bases", disse Sebastian Pereira, gerente executivo de Alto Rendimento do COB.

A delegação passará por Saitama e Sagamihara, as duas maiores bases do Time Brasil para 2020, Chiba, Enoshima, Hamamatsu, Ota, Koto e Chuo durante os nove dias que permanecerá em terras japonesas. A equipe do COB será liderada pela área de Jogos e Operações Internacionais, mas conta com integrantes das áreas de Planejamento e Desempenho Esportivo, Comunicação, Cultural e Marketing, entre outras. A arquiteta Daniela Polzin, ex-judoca olímpica, da gerência de Infraestrutura, também integra a comitiva, com o objetivo de otimizar os espaços que serão utilizados pela delegação brasileira.

"A área de Infraestrutura identificará as necessidades na Vila Olímpica e em cada base, sempre com um nível de serviço muito alto para nossos atletas. O objetivo é verificar se os espaços disponíveis atendem a todas as demandas e o que precisa ser adquirido para a montagem de cada um deles. Juntando as informações que já temos com a análise dos profissionais desta vistoria, tudo estará coberto. Antes e durante os Jogos Olímpicos a operação visa dar aos atletas a tranquilidade para se aclimatar, manter o foco e, posteriormente, consiga o seu melhor na competição", completou Sebastian.

A maior base do Time Brasil durante os Jogos será na Universidade de Rikkyo, em Saitama. A previsão é de que cerca de 150 atletas de doze modalidades utilizem a instalação. Sagamihara deverá receber três modalidades e quase 90 atletas. Hamamatsu será a base do judô, tênis de mesa e rúgbi feminino, além de ginástica rítmica e golfe que ainda buscam classificação. Enoshima será a casa da vela e Chiba receberá o surfe. Estão confirmados em Ota quatro modalidades: vôlei, handebol, tiro com arco e vôlei de praia. Koto será um local adicionou de treinamento do vôlei. E, por fim, Chuo será o centro de treinamento e recuperação dos atletas brasileiros.

Desde o ano passado, o Time Brasil já está treinando com frequência no Japão. Em 2018, seis diferentes modalidades testaram as bases no país. Em 2019, serão nove modalidades, incluindo o vôlei no mês de setembro e o handebol fechando o ciclo em novembro. Entre as ações que já foram realizadas este ano estão, por exemplo, as operações nos eventos-teste de judô, triatlo e vela no mês de agosto.

Para Tóquio 2020, além de toda estrutura para treinamento e recuperação dos atletas, o COB dará uma atenção especial à questão da alimentação. Em todas as bases de apoio do Time Brasil haverá culinária brasileira para que o atleta se sinta em casa no Japão. Um profissional brasileiro já atende as delegações brasileiras no país e lidera um processo de treinamento de cozinheiros japoneses.



O fuso horário é um dos principais fatores que está sendo levado em conta no planejamento do COB para os Jogos Olímpicos de 2020. O clima quente de Tóquio nesta época do ano é outro ponto de atenção que já está sendo trabalhado pelo COB. As oito bases de apoio do Time Brasil farão de Tóquio 2020 a operação mais complexa da história olímpica brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário