Ana Beatriz Bucão sonha com medalha olímpica inédita para a Esgrima do Brasil - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Ana Beatriz Bucão sonha com medalha olímpica inédita para a Esgrima do Brasil

Compartilhe

Ana Beatriz Di Rienzo Bulcão, ou simplesmente Bia Bilcão, estuda na Universidade Americana de Penn State World, buscando um diploma de bacharel em negócios. Porém, seu objetivo é ainda maior: ganhar uma medalha olímpica para o Brasil.

Bulcão, a esgrimista mais bem classificado do Brasil, espera se classificar para os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio. Ela competiu nas Olimpíadas em seu país natal, em 2016 e ficou em 31º lugar no florente individual entre as mulheres. 

Competir nas Olimpíadas ante uma multidão de brasileiro foi incrível, comentou Ana. “O grito dos fãs me deu o fogo para lutar por cada ponto”.

Agora, seu sonho é representar o Brasil em busca de uma medalha em Tóquio. 

Em janeiro, ela se mudou de sua cidade natal, em Cotia, no Brasil, para Frascati, na Itália, para treinar e iniciar o processo de qualificação para as Olimpíadas por meio de competições internacionais. Ela espera representar o Brasil e a sua universidade, Penn State, na 30ª Universíade, em Nápoles este ano.

Bulcão treina seis horas por dia de segunda a sábado - esgrima e exercícios de força, agilidade e flexibilidade e prevenção de lesões durante o dia, com noites reservadas para o trabalho escolar. Quando ela não tem uma competição no fim de semana, ela tenta usar esse tempo para estudar.

A atleta espera no futuro usar o seu diploma em negócios e a experiência como atleta internacional para abrir um clube ou centro no Brasil e, assim, ajudar a promover a esgrima, que muitas vezes só está disponível através de clubes privados e caros.

"Eu quero fazer esgrima acessível a todos", disse Ana.

Como a mãe de Bulcão exigia que ela fizesse um esporte, ela começou a esgrima aos 9 anos de idade. Os treinadores recomendaram que ela tentasse praticar handebol ou corrida, mas a agenda da escola não dava espaço para essas práticas.

Quando ela se inscreveu para as aulas de esgrima relata que “não sabia exatamente o que era. Mas uma vez que eu tentei, eu adorei"

Ana Beatriz Bulcão gosta do nível de concentração exigido pela esgrima: “Não é apenas físico - é mais mental. Você tem que criar uma estratégia ”, relatou. 

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário