Governador do Rio admite que despoluição da Baía de Guanabara pode não atingir meta para 2016


O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, se reuniu com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e admitiu que as metas de despoluição da Baía de Guanabara podem não ser atingidass já que parte das obras deve ficar pronta depois dos Jogos Olímpicos de 2016.

Em encontro realizado nesta segunda-feira, foi apresentado ao COI um pacote de obras, algumas delas em fase de licitação, para o tratamento do esgoto dos municípios banhados pela Baía de Guanabara, palco das provas de regata dos Jogos Olímpicos de 2016.

Segundo Pezão, essas obras permitiram reduzir a poluição das águas da baía em 80%, meta estabelecida pelos responsáveis pela organização do evento. No entanto, o governador admitiu a possibilidade que várias delas não sejam concluídas antes do início dos Jogos Olímpicos, em agosto de 2016.

O governador ressaltou que, em qualquer caso, elas significarão um "avanço" na limpeza das águas.
No encontro, realizado a portas fechadas, estiveram presentes também a presidente da comissão de inspeção do COI para o Rio-2016, a ex-atleta marroquina Nawal El Moutawakel, o ministro do Esporte, George Hilton, e o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Essa foi a oitava visita da comissão de coordenação do COI para Jogos de 2016, que será concluída na próxima quarta-feira.

Bach acompanha de forma extraordinária a comissão, já que a visita coincidiu com o encontro do Comitê Executivo do COI, marcado para ocorrer entre quinta-feira e sábado no Rio de Janeiro.
O presidente do COI também visitará na próxima quarta-feira as obras de expansão do metrô do Rio, segundo disse o governador. 


Fonte: Terra/EFE
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top