Skate America 2019 - Dia 1


Domínio dos EUA e poucas surpresas no dia de programas curtos do Skate America, primeira etapa do Grand Prix de Patinação Artística da temporada 2019/2020 disputada em Las Vegas. Com programas mais focados em elementos obrigatórios Peng e Jin da China na competição de Pares e Nathan Chen dos EUA, no Individual Masculino ficaram com as melhores pontuações do dia. Na Dança no Gelo vitória de Hubbel e Donohue, também dos EUA e no Individual Feminino o único resultado inesperado do dia, com Bradie Tennell (foto) liderando, à frente das favoritas de Rússia e Japão.


Pares:

Os chineses Cheng Peng e Yang Jin optaram por um programa curto com ênfase em dificuldade técnica e elementos de visual acrobático. A escolha foi acertada: mesmo com um erro na saída do salto triplo toeloop lado a lado onde Peng deu um passo a mais, a dupla somou pontos suficientes para garantir a liderança do dia: 72.73 contra 71.25 dos segundos colocados, a jovem dupla russa Daria Pavliuchenko e Denis Khodykin. Pavliuchenko e Khodykin tiveram uma performance mais limpa e considerada tecnicamente superior, mas segundo a avaliação dos juízes acabou perdendo nos componentes artísticos e criativos.

Com um erro grave—uma queda dura na saída do salto triplo lutz em lançamento—os norte-americanos Ashley Cain-Gribble e Timothy LeDuc levaram seu ousado programa curto à terceira posição no dia, à frente de Haven Deeney e Brandon Frazier, também dos EUA.


Masculino:

Com um programa focado quase que exclusivamente em elementos obrigatórios, Nathan Chen dos EUA venceu o programa curto masculino, com 102.71 pontos. O resultado gerou controvérsias: ao som de "La Boheme" de Charles Aznavour, o campeão mundial apresentou um programa bem menos rico em transições do que o dos outros cinco primeiros colocados, e teve erros de sobregiro na saída de um salto quádruplo lutz e sobrepasso na saída da combinação de triplo e quádruplo toeloop que acabaram ignorados pelos juízes. Ao final da performance o próprio Chen não estava satisfeito, mesmo procurando encarar o resultado de modo positivo: "Não estou totalmente feliz com o jeito com que as coisas saíram, todavia é a primeira performance e estou OK com isso. Quero competir amanhã e corrigir alguns dos erros que fiz hoje, e continuar nesse ritmo."

Com o russo Dmitri Aliev ficando na segunda posição com um programa correto e seguro, a emoção do dia ficou por conta de Keegan Messing. O patinador do Canadá não fez cálculos para atingir pontuações, deu ênfase à carga emocional e comoveu a platéia com uma performance intensa, que garantiu o terceiro lugar. 

Ao som de "Perfect", de Ed Sheeran, Messing explicou em entrevista que aquela apresentação foi uma das mais emocionalmente relevantes—e difíceis—de toda a sua carreira: a primeira performance em uma competição maior após seu casamento com Lane Hodson e a primeira competição após a morte de seu irmão mais novo, Paxon, em um acidente de motocicleta. 

"Esta foi a primeira vez em que eu apresentei meu Programa Curto diante da minha esposa, para quem ele na verdade foi criado. É a mesma música que minha esposa e eu dançamos em nosso casamento, então ela estar aqui para ver foi algo muito especial para mim." Ainda lidando com o luto e a reorganização familiar após a tragédia com o irmão, o patinador do Canadá admitiu que esteve próximo de desistir de participar do Grand Prix: "Vir para essa competição foi uma das coisas mais difíceis que eu já fiz em minha vida inteira. Estou realmente feliz de poder vir aqui e patinar." Ao final da apresentação, Keegan Messing em um gesto apontou o céu, dedicando a apresentação a Paxon.


Dança no Gelo:

Madison Hubbell e Zachary Donohue continuam a grande série de resultados em eventos mundiais: campeões do Grand Prix de 2018, e com uma única final fora do pódio em um ano—a da Copa dos Quatro Continentes de 2019, onde terminaram na quarta posição—os norte-americanos levaram seu programa inspirado em filmes da era de ouro de Hollywood para o primeiro lugar do dia. Hubbell, caracterizada como Marilyn Monroe comentou que o programa era um velho desejo do passado: "Foi muito excitante para mim estrear meu personagem de Marilyn Monroe, era algo que eu sonhei em patinar por muitos anos, e foi excelente fazer isso em Las Vegas".

Os russos Alexandra Stepanova e Ivan Bukin, que também estrearam seu programa de Dança Rítmica-Musicais ficaram com a segunda posição. Em terceiro, Laurence Fournier Beaudry e Nikolaj Sorensen, do Canadá mostraram que vem em um momento forte: ausentes da última temporada por terem mudado de registro de nacionalidade—antes defendiam a Dinamarca, e cumpriram afastamento compulsório previsto no regulamento—a dupla vem de vitória no Nebelhorn Trophy e comemorou o resultado, explicando que ainda está se adaptando na volta às competições: "Adoramos nosso primeira etapa do Grand Prix após uma temporada fora. Não tínhamos expectativas, só queríamos ter uma boa experiência e foi o que fizemos".

Feminino:

A grande surpresa do dia acabou virando mais uma vitória dos EUA: num dia onde a favorita, Anna Shcherbakova da Rússia errou muito, caiu e chegou a ter um estouro de tempo que não foi não computado pelos juízes ficando em quarto lugar, a porta ficou aberta para que outras patinadoras do pelotão de elite avançassem. Melhor para Bradie Tennell: a norte-ameticana abusou de sua já conhecida precisão cirúrgica na execução de elementos, fez um programa com saltos complexos, rico e frenético que valeu o primeiro lugar. 

O resultado foi uma grande vitória pessoal para Tennell, que fez sua melhor marca pessoal na carreira após voltar de afastamento após sofrer uma fratura no pé que a tirou de todas as competições e apresentações públicas desde junho: "Esta noite eu fiquei realmente feliz com minha performance, especialmente após a lesão e todo o meu trabalho para voltar a um treinamento completo. Vim com o pensamento em fazer o que eu faço todo dia no treino e não tentar inventar nada além. Eu queria gostar do que eu estivesse fazendo, relaxar e atuar."

A japonesa Kaori Sakamoto ficou em segundo, com um programa bem mais seguro e com coreografia já bem mais evoluída que o mostrado no Ondrej Nepela Trophy há um mês: melhor nota de componentes artísticos do dia, também comemorada com surpresa: "Vim para esse evento sem muita confiança. Estou feliz que pude patinar sem erros", disse a japonesa, que relatou um momento tenso minutos antes da entrada na competição: "Eu sentia as pernas adormecidas e parecia que eu não tinha força até o momento em que as notas da Bradie foram anunciadas. Então eu dei umas pancadas nas minhas pernas: aí parece que elas acordaram e eu pude realizar meus saltos hoje."

A também japonesa Wakaba Higuchi completou as três primeiras posições no dia, em outro momento de superação: a atleta voltou a ter uma boa performance após lutar contra lesões múltiplas que comprometeram suas atuações nos nos últimos dois anos. Higuchi declarou: "Estou feliz em poder fazer um programa limpo após um tempo tão longo. Ainda deixei alguns pontos escaparem em piruetas, sequência de passos e saltos que poderiam ter sido ainda melhores, então espero treinar mais e entrar com mais confiança no programa livre."

A competição tem seu último dia hoje, a partir das 17 horas (horário de Brasília), com transmissão livre para o Brasil no canal oficial da ISU no YouTube. Todas as tabelas com resultados, agenda de apresentações em horário local e súmulas detalhadas de julgamentos do Skate America de 2019 estão disponíveis aqui, no site oficial de resultados do evento.

Foto: Reuters

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes