Pan-Americano de Judô 2018 - Dia 3

No terceiro e último dia de Campeonato Pan-Americano Sênior de San Jose, na Costa Rica, o Brasil ficou com o vice-campeonato na inédita disputa por equipes mistas após final decidida na última luta contra a equipe de Cuba, que venceu o duelo por 4 a 2. 

No primeiro confronto do dia, a seleção bateu o Peru por 4 a 1 para avançar à semifinal. Kamilla Silva (57kg) abriu o placar para a seleção ao vencer Brilithi Carbajal por ippon (imobilização). O Peru empatou com vitória de Alonso Wong por waza-ari sobre Jeferson Santos Jr (73kg) e o Brasil respondeu com vitória de Maria Portela (70kg) por waza-ari e ippon sobre Camila Figueroa. No terceiro combate, Gustavo Assis (90kg) forçou três punições a Yuta Galarreta Vilar e garantiu o 3 a 1 no placar. Beatriz Souza (+78kg) fechou o combate com vitória por ippon sobre Xsara Morales Falconi e não houve necessidade do último combate, que seria entre David Moura (+100kg) e Daryl Yamamoto Servan.

Na semifinal, o Brasil repetiu o placar contra a Venezuela com vitórias de Tamires Crude (57kg) sobre Wisneybi Machado; de David Lima (73kg) por ippon sobre Sergio Mattey; de Rafael Macedo (90kg) por ippon sobre Anthony Pena; e de Beatriz Souza (+78kg) sobre Karen Leon, também por ippon. A luta mais equilibrada do combate foi entre as médios Elvismar Rodriguez e Maria Portela, decidida nas punições após dois minutos de golden score. Maria levou 3 shidos e a venezuelana apenas um para vencer o duelo.
O Brasil começou bem a final com vitória por ippon de Tamires Crude (57kg) sobre Anailys Dorvigny, mas os cubanos responderam com vitória de Magdiel Estrada por waza-ari sobre David Lima (73kg). No terceiro combate, Olga Masferrer abriu um waza-ari de vantagem sobre Maria Portela (70kg). A brasileira chegou a empatar a luta, mas acabou sofrendo o ippon e Cuba marcou o segundo ponto. Na quarta luta, Rafael Macedo sofreu três punições e a vitória ficou com Ivan Silva Morales, fazendo Cuba 3, Brasil 1. Beatriz Souza (+78kg) precisava da vitória contra a Idalis Ortiz e não decepcionou. Depois de levar um waza-ari, a brasileira foi tática e venceu o confronto forçando três punições à campeã olímpica.


Com o 3 a 2 no placar, o Brasil precisava de uma vitória por ippon de David Moura sobre Andy Granda. No tempo normal, Moura foi melhor, forçando duas punições contra o cubano, mas, quando tentou uma técnica de sacrifício a arbitragem entendeu que houve uma ação de contra-golpe de Grandy e deu o ippon para o cubano. Placar final ficou Cuba 4, Brasil 2.

Foto: CBJ



Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes