Últimas Notícias

Parada das Nações - Senegal

À esquerda, fundo azul e legenda "parada das nações Paris-2024" na parte superior, "Senegal (Sénégal)"ao centro, e a logo do surto olímpico na parte inferior. À direita, foto da delegação de Senegal no desfile da parada das nações usando cores e bandeiras do país


Sigla: SEN

Medalhas na história - Ouro: 0 | Prata: 1 | Bronze: 0 | Total: 0

Em Tóquio - Ouro: 0 | Prata: 0 | Bronze: 0 | Total: 0

Primeira participação olímpica - Tóquio-1964

Maior Medalhista olímpico - Amadou Dia Ba (atletismo), uma prata 


O Senegal é o país localizado no ponto mais a oeste do continente africano. Com uma população de cerca de 18 milhões de pessoas, é considerado uma das democracias mais estáveis da África, se descando por mediações de conflitos e liderança regional. 

PARADA DAS NAÇÕES - SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Tal prestígio internacional ajudou o país a ser o primeiro do continente africano escolhido para sediar um evento olímpico: em 2026, Senegal será a casa dos Jogos Olímpicos da Juventude. Inicialmente, o evento estava marcado para 2022. No entanto, devido às consequências sanitárias, econômicas e de infraestrutura decorrentes da Covid-19, o Comitê Olímpico Internacional adiou o evento. 

Já quando o assunto são os jogos olímpicos tradicionais, Senegal se destaca pela regularidade, estando presente em todas as edições desde sua independência, em meados do século XX. Contudo, a recorrente particição em jogos se traduziu em apenas uma medalha: em Seul-1988, Amadou Dia Ba conquistou a primeira e única medalha senegalesa ao terminar os 400m com barreiras masculino em 47.23 segundos em sua segunda participação olímpica. 

Dia Ba garantindo a prata em Seul 1988 (foto- Comitê olímpico de Senegal)


Em Tóquio, a delegação senegalesa foi composta por nove atletas, seis homens e três mulheres, nas seguintes modalidades: atletismo, canoagem, esgrima, judô, tiro esportivo, natação, tênis de mesa e wrestling. 

Para Paris, o país tem cinco atletas classificados até a publicação deste texto nas seguintes modalidades: atletismo, canoagem, esgrima e taekwondo. 

Esportes fortes

Esgrima - desde Atenas-2004, Senegal sempre levou ao menos um represente na esgrima, sempre na espada ou sabre. Na França, Ndèye Binta Diongue está classificada na espada individual e será a representante senegalesa na modalidade.

Atletismo - esporte que detém a única medalha da história de Senegal, o atletismo é uma das modalidades em que o país mais levou representantes em jogos olímpicos. Em Paris, até o momento, há apenas um classificado: Louis François Mendy, que competirá nos 110m com barreiras. 

Taekwondo - Paris marcará o retorno de um atleta senegalês ao taekwondo em jogos olímpicos, já que em Tóquio o país não levou nenhum representante. 

Louis François Mendy vestido em seu uniforme predominantemente verde, levanta os dois braços em agradecimento
Louis François Mendy detém o recorde senegalês dos 110m com barreiras. 

Atletas

Ndèye Binta Diongue (esgrima) - aos 36 anos, a esgrimista participará de sua segunda edição de jogos olímpicos. Ndèye classificou-se para Paris ao conquistar a medalha de ouro nas eliminatórias africanas disputadas na Argélia. Em Tóquio, ela foi eliminada no round 32 avos pela chinesa Lin Sheng por  6–15. 

Louis François Mendy (atletismo) - também indo para sua segunda olímpiada, Louis chega a Paris como campeão dos 110m com bareiras nos Jogos Africanos de Accra de 2023, com um tempo de 13.61. Também em 2023, o atleta bateu o recorde senegalês ao correr para 13.18 no Meeting Internacional de Troyes. Em Tóquio, terminou em 34º. 

 

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar