Últimas Notícias

Bruna Alexandre, Jennyfer Parinos e Lethícia Lacerda reforçam a delegação brasileira para o Aberto Paralímpico da Tailândia de Tênis de Mesa

Alexandre durante uma partida
Foto: Miriam Jeske/CBTM



O mês de agosto reserva três grandes compromissos para a seleção paralímpica no continente asiático. Após conquistas cinco medalhas na Coreia do Sul, nossos atletas seguem para Pattaya e encaram o segundo desafio do mês: o Aberto Paralímpico Fa40 de Tênis de Mesa Paralímpico da Tailândia.


Em relação a delegação presente no último torneio, o Brasil terá três reforços para a competição que acontece entre a próxima quinta-feira (24) e o domingo (27). Bruna Alexandre (classe 10), Jennyfer Parinos (classe 9) e Lethícia Lacerda (classe 8) se juntam a Catia Oliveira (classe 2), Thaís Severo e Marliane Santos (classe 3) e Aline Ferreira (Classe 7) nas disputas femininas.


No masculino, Fábio Silva (classe 3), Lucas Arabian (classe 5) e Lucas Carvalho representam o nosso país na Ásia.


''O Aberto da Coreia foi a primeira competição no continente asiático para alguns atletas e em um contexto geral tivemos bons resultados. Fizemos confrontos com os principais atletas do mundo, os melhores ranqueados. Agora, na Tailândia, mais uma vez teremos muitos confrontos contra atletas asiáticos e isso é sempre importante para analisarmos alguns pontos para o nosso jogo. Mesmo sendo em classes iguais, teremos culturas diferentes na mesa'', explicou Paulo Molitor, técnico da seleção paralímpica.


Além dos 10 mesa-tenistas brasileiros, o Aberto da Tailândia recebe atletas de outros 19 países/regiões administrativas: Chile, China, Coreia do Sul, Espanha, França, Holanda, Hungria, Hong Kong, Índia, Indonésia, Israel, Japão, México, República Tcheca, Singapura, Tailândia, Taipei chinês, Turquia e Uzbequistão.


Os primeiros compromissos do Brasil na Tailândia acontecem ainda na primeira hora da quinta-feira (24). À 00h35 (horário de Brasília), Lucas Carvalho e Jennyfer Parinos jogam pela fase de grupos.


''Assim como na Coreia do Sul, faremos confrontos pontuais que serão muito importantes no ranking. Jennyfer será uma das atletas que deve encarar desafios assim nesta competição. Tudo isso já visando os jogos Parapan-Americanos, que acontecem em novembro'', complementou o treinador.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar