Últimas Notícias

Federação Internacional de Tiro com arco mantém postura contra atletas russos e bielorrussos para Paris-2024

 Nem sob bandeiras neutras a entidade aceita os competidores das nações envolvidas na Guerra da Ucrânia

Sul-coreano Kim Je Deok em ação nas Olimpíadas de Tóquio-2020 - Foto: Justin Setterfield/Getty Images 

Mais uma federação esportiva se pronuncia a respeito da participação ou não de atletas da Rússia e de Belarus. Desta vez foi a World Archery (Federação Internacional de Tiro com arco), que emitiu nota nada favorável ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que estuda liberar os competidores das nações envolvidas no conflito contra a Ucrânia para os Jogos Olímpicos de Paris-2024.

O COI está tendendo resolver o problema e sinalizando que outras entidades deram aval para russos e bielorrussos competirem, mas não é o que parece. Vários países já disseram publicamente que são contra a decisão até o problema da guerra for resolvido. Outra questão que a entidade que comanda os esportes olímpicos tenta apartar é se os renegados poderiam participar representando bandeiras neutras, o que também é bastante criticado pelo mundo.

Em nota, a World Archery defende que "considera muito improvável o retorno de atletas individuais neutros às competições em 2023, inclusive em eventos qualificatórios para Paris-2022". As competições que classificam para os próximos Jogos também são afetados, já que muitos atletas querem disputar eventos na Ásia, o que a federação é totalmente contra. "Devido ao impacto que isso causaria em atletas do continente e federações nacionais, já que a modalidade tem um formato eliminatório e preza pelo equilíbrio das cotas continentais para classificação para as Olímpíadas".



 


0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar