Brasil inicia caminhada no Mundial de Atletismo Sub-20, em Cali


Com a participação de 11 brasileiros, o Campeonato Mundial de Atletismo Sub-20 começa nesta segunda-feira (1/8), no Estádio Olímpico Pascual Guerrero, na cidade colombiana de Cáli. A primeira prova prevista é a qualificação do lançamento do dardo feminino, a partir das 11:05 de Brasília, com a paranaense Stefany Beatriz Navarro (AAP-Paraná). Ela está inscrita também na disputa do heptatlo.

Está prevista também a estreia de Gabriela Tardivo (IPEC-PR) nas eliminatórias dos 3.000 m com obstáculos, de Gabriel Boza (APA-SP), na qualificação do salto em distância, de Lucas Gabriel Antunes (UCA-SC) e de Renan Correa Gallina (Maringá-PR) nas eliminatórias dos 100 m, de José Eduardo Mendes e de Thiago Resende dos Santos, ambos do Luasa-SP, nas eliminatórias dos 110 m com barreiras.

O revezamento 4x400 m misto também compete no primeiro dia. Faz a semifinal, mas a equipe ainda não estava definida neste domingo. Seis atletas estão inscritos para quatro vagas: Júlia Ribeiro, Tainara Melo, Amanda Miranda, Matheus Lima, Vinícius Galeno e João Henrrique Barros.

“Na minha avaliação os atletas de 18 anos, que disputaram o Sul-Americano, o Pan e os Jogos da Juventude de Rosário têm mais experiência internacional do que a geração de 19, mais prejudicada pela pandemia”, comentou Margit Weise, treinadora-chefe da equipe feminina. Ela analisou também os destaques da equipe. “Temos vários atletas com possibilidades de fazer finais, como o Gabriel Boza, que pode ser finalista e disputar uma medalha. Estamos montando um 4x400 m misto, que pode ser forte. A Vanessa Sena dos Santos e Arielly Rodrigues também podem ir à final, assim como os meninos dos 110 m com barreiras”, disse.

Para o treinador-chefe do masculino, Alexandre Moratto, o clima está muito bom. “O camping realizado antes da viagem, em Bragança Paulista (SP), foi muito bom, deu para sentir a delegação, psicológica e emocionalmente. Todos estão bem. Muitos estão participando pela primeira vez de um grande evento, como o pessoal sub-18. Alguns atletas nos surpreenderam e devem melhorar suas performances”, comentou Alexandre. “Nomes com Matheus Lima, dos 400 m com barreiras, Gabriel Boza, que está entre os cinco melhores do mundo no distância, a Vanessa Sena dos Santos, que surpreende em grandes competições também na distância e nos 200 m, além do 4x400 m misto, que deve ser o carro-chefe dos revezamentos”, completou.

Já o técnico Cremilson Julião Rodrigues acompanhou o treinamento do Gabriel Boza no estádio neste domingo (31/7). “Ele esteve no estádio de competição, aqueceu, soltou… Está bem, otimista, pronto. Ele falou que no ano passado o que aconteceu foi zebra, mas agora vai ser diferente”, disse referindo-se ao quarto lugar no Mundial de Nairóbi, no Quênia, em 2021, quando sentiu câimbras e não terminou a prova. “Ele está com outra cabeça. Mexemos um pouco na marca dele, alongamos, sai mais lançado”, concluiu.

Em toda a história dos Mundiais Sub-20, iniciada em Atenas, Grécia, em 1986, o Brasil conquistou 14 medalhas, sendo três de ouro, duas de prata e nove de bronze. Na última edição, em 2021, em Nairóbi, Quênia, a seleção não subiu ao pódio. O melhor resultado foi o quarto lugar de Gabriel Boza no salto em distância.

Foto: Divulgação
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top