Um ano após Tóquio, vôlei de praia do Brasil coleciona bons resultados e volta a dominar cenário mundial


O vôlei de praia do Brasil vive um momento especial. No último fim de semana, o país teve mais uma conquista expressiva no esporte, com a dobradinha feminina na etapa de Gstaad, na Suíça, do Circuito Mundial. Duda e Ana Patrícia bateram Bárbara Seixas e Carol Solberg na final e ficaram com o título.

A consolidação dessa ótima fase também representa a recuperação do vôlei de praia após os Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Pela primeira vez desde que o esporte entrou no programa olímpico, em 1996, o Brasil saiu da competição sem ganhar medalhas.

Agora, um ano depois, o país volta ao topo do vôlei de praia mundial, com duplas consistentes, se destacando no cenário internacional e conquistando torneios importantes.

No Mundial de Roma, disputado no mês passado, o Brasil foi o país que mais ganhou medalhas. No feminino, Duda e Ana Patrícia foram as campeãs. No masculino, Renato e Vitor Felipe ficaram com a prata, enquanto Andre e George conquistaram o bronze.

No Circuito Mundial os atletas brasileiros também têm se destacado. O país conquistou medalhas em todas as quatro etapas realizadas até o momento. Na penúltima, em Jurmala, na Letônia, já haviam sido dois bronzes (André/George e Duda/Ana Patrícia) e uma prata (Bárbara Seixas e Carol Solberg).

Outro reflexo da recuperação do vôlei de praia do Brasil após Tóquio é o ranking mundial. O país domina tanto no masculino como no feminino. André e George são os líderes entre os homens, seguidos logo atrás por Vitor Felipe e Renato.

Entre as mulheres, Bárbara Seixas e Carol Solberg também são as primeiras colocadas, enquanto Duda e Ana Patrícia estão na terceira posição. Com Taiana/Hegeile em sétimo e Rebecca e Talita em oitavo, o Brasil é o país com mais duplas no top-10 do ranking feminino.

Foto: Volleyball World

Postar um comentário

To Top