Flávia Saraiva e Rebeca Andrade brilham e conquistam cinco medalhas no Pan-Americano de ginástica artística

Flávia Saraiva é a grande estrela do Brasil conquistando três medalhas no Pan-Americano

Em uma Arena Carioca 1 lotada, Flávia Saraiva e Rebeca Andrade fizeram apresentações de gala nesta sexta (15), no segundo dia do Pan-Americano de ginástica artística e conquistaram cinco medalhas para o Brasil. Flavia foi ouro no individual geral e na trave e prata no solo. Já Rebeca foi ouro nas barras assimétricas e prata na trave. 

Em entrevista coletiva, Flavinha ressaltou sua felicidade pelas conquistas, principalmente após um período difícil de recuperação de lesão: 

"Eu queria agradecer toda a comissão técnica e as meninas, porque foi muito difícil conseguir voltar. Tô muito feliz de voltar, estar com elas e com a equipe."

Além das excelentes performances das duas generalistas, o Brasil se classificou em primeiro lugar na disputa por equipes, que será realizada no domingo (17). Carolyne Pedro, Christal Bezerra e Júlia Soares fizeram suas melhores apresentações no salto e na trave, respectivamente, e contribuíram para a boa pontuação da equipe. 

Rebeca se apresentando na trava, aparelho em que conquistou a prata. (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Para chegarem bem ao Pan, as meninas treinaram bastante. Em entrevista ao Surto Olímpico, minutos antes da rotação do Brasil, Jade Barbosa comentou sobre como foi acompanhar as atletas durante a preparação para o Pan. A ginasta de 31 anos, a mais experiente do time, não competiu após decisão conjunta com sua equipe técnica e médica, tendo em vista preservar o joelho.

"A gente passou toda a carga de preparação juntas, a rotina, o treino diário. É lá que você passa todas as simulações do que poderia acontecer na competição. Fiz toda essa parte com as meninas, a gente sempre orienta. Estou feliz com a preparação que elas fizeram. Meu técnico sempre fala isso, a cada treino a gente coloca uma peça de roupa dentro da mala e que, no dia da competição, você vai tirando um collant de cada vez", disse Jade, que vibrou muito durante as apresentações da equipe brasileira.

No entanto, mesmo com o bom resultado, as atletas ainda têm margem de melhora. O ponto fraco da equipe foi nas barras assimétricas, pois, apesar do ouro de Rebeca, este foi o aparelho em que as brasileiras mais tiveram dificuldades, tendo quedas que comprometeram notas mais altas.

Além das medalhas no individual geral e por aparelhos, as competições de hoje foram importantes para a definição de vagas do Mundial de ginástica, que começa no final de outubro, em Liverpool. No feminino, as cinco vagas por equipes foram preenchidas por Brasil, Estados Unidos, Canadá, Argentina e México. 

Equipe brasileira se classifica em primeiro para a final (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Equipe feminina 

  • Carolyne Pedro (todos os aparelhos)
  • Christal Bezerra (todos os aparelhos)
  • Flávia Saraiva (todos os aparelhos)
  • Julia Soares (todos os aparelhos)
  • Rebeca Andrade  (trave, salto e paralelas assimétricas)

Treinadores:
  • Beatriz Fragoso
  • Francisco Porath Neto
  • Iryna Ilyashenko
Fotos: Ricardo Bufolin

Postar um comentário

To Top