Campeãs mundiais, Duda e Ana Patricia voltam às quadras na etapa de Gstaad do Circuito Mundial de vôlei de praia


Duda e Ana Patricia entram em quadra às 8h (de Brasília) desta quarta-feira (06.07) para disputar mais uma etapa do Circuito Mundial de vôlei de praia. As duas já viveram muitas vezes esse momento – juntas ou separadas -, mas a estreia na etapa Elite disputada de Gstaad (SUI) tem um sabor diferente. É a primeira vez que elas disputam uma partida como campeãs mundiais – o título foi conquistado em Roma (ITA), no dia 19 de junho.

“O título mundial foi maravilhoso. Foi um marco na minha vida, um sonho realizado, mas a vida segue”, afirma Ana Patricia, que ao lado da parceira encara a dupla finlandesa Ahtiainen/Lahti pela primeira rodada do torneio nos Alpes suíços. “Gstaad é uma etapa supertradicional, um lugar onde todo mundo gosta de jogar. E sem trabalho, trabalho e trabalho, não tem como vencer. É nisso que acredito. Espero que possamos fazer uma grande competição e que sigamos em frente, sempre com novos objetivos”.

Além de Ana Patricia e Duda, o Brasil tem outras nove duplas em Gstaad. No masculino, além dos também medalhistas do Campeonato Mundial Vitor Felipe/Renato (prata) e André/George (bronze), brigam pelo título Evandro/Álvaro Filho e Bruno Schmidt/Saymon. Bárbara Seixas/Carol Solberg, Maria Elisa/Fernanda Berti, Andressa/Vitória, Taiana/Hegê e Tainá/Vic estarão ao lado de Duda/Ana Patrícia na competição feminina.

“É um momento muito especial e estamos tentando curtir ao máximo. A medalha no Campeonato Mundial só serviu de motivação para continuar o trabalho da nossa dupla, que está muito bem. Em Gstaad, vamos entrar focados em cada jogo e deixar as coisas fluírem”, diz Renato, de 22 anos, o mais novo dos seis medalhistas em Roma.

Este ano, o Circuito Mundial adotou novo formato, dividido em etapas Elite, Challenge e Future. As disputas Elite – como a de Gstaad – reúnem os 12 primeiros colocados do ranking e quatro duplas vindas do qualifying com 16 equipes. Os Challenges são importantes para somar pontos no ranking e entrar na briga por um lugar no Elite, e os Futures são voltados para o desenvolvimento do esporte e dos atletas. Sede de uma etapa do Circuito Mundial pela 21ª vez, Gstaad terá uma competição com formato diferente dos outros Elite. Sem disputa de qualifying, o torneio principal contará com 32 duplas. As equipes são divididas em oito grupos. O primeiro colocado da chave avança diretamente para as oitavas de final, e os segundos e terceiros, jogam a repescagem.

Foto: Volleyball World

Postar um comentário

To Top