Brasil termina primeiro dia do Grand Prix de Judô Paralímpico em São Paulo com oito medalhas



O Brasil começou o IBSA Grand Prix de São Paulo mostrando por que é o país a ser batido no judô paralímpico atualmente. Depois de ganhar as etapas da Turquia e do Cazaquistão, a Seleção fechou o sábado à frente na classificação geral, com oito medalhas conquistadas, sendo duas de ouro, uma de prata e cinco de bronze. Neste domingo (3), mais 11 atletas da casa entrarão em ação para tentar manter a hegemonia na modalidade às vésperas do Mundial de Baku, no Azerbaijão, em novembro.

Um dos destaques foi a potiguar Rosicleide Andrade. Campeã nos dois torneios anteriores do circuito de Grand Prix da IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esportes para Cegos), ela repetiu a dose dentro de casa. Sua categoria (J1 até 48 kg) contou com apenas uma adversária, a argentina Rocio Ledesma. Nesse caso, o sistema de disputa prevê uma série melhor de três combates para se definir a campeã. A brasileira não deu chances à oponente e ganhou todas.

"Eu estava me sentindo muito cobrada por vir de duas conquistas e estar dentro de casa. Era uma cobrança minha mesmo, querendo me manter no pódio. E foi concentrar, focar, fazer o que eu vinha treinando, para dar tudo certo!", comemorou a atleta de 24 anos, que se mantém na liderança do ranking mundial com mais esta conquista.

Quem também saiu da arena multiuso com a dourada no peito foi o paraense Rayfran Pontes, que não precisou nem lutar na grande decisão, pois seu adversário, o romeno Florin Bologa, líder do ranking na categoria J1 até 73 kg, desistiu do combate antes mesmo do início por conta de uma lesão na panturrilha sofrida ao longo do torneio. "Estava preparado para lutar, já sabia o que fazer. Mas só tenho a agradecer ao sensei Jaime e ao sensei Garcia porque acreditaram em mim, me convocaram para as fases de treinamento e me trouxeram para esta competição. Também queria agradecer a quem torceu em casa por mim e à CBDV por toda a estrutura dada", disse o judoca de 30 anos, que agora soma uma prata (Turquia) e um ouro no Grand Prix da IBSA.

O Brasil também faturou uma prata com Thiego Marques, na categoria J2 até 60 kg. Em uma chave com quatro judocas, todos se enfrentaram e, após ganhar duas lutas, o paraense perdeu do argelino Ishak Ouldkouider, que ficou com o ouro. "Não era o que eu queria, mas seguimos pontuando no ranking. Faltou pouco para o ouro, mas a próxima, se Deus quiser, será!", comentou o atleta, que ainda busca sua primeira medalha dourada pela Seleção adulta.

Mais cinco bronzes ajudaram os anfitriões a fecharem o dia à frente dos demais (são países 21 participando): Harlley Arruda (J1 até 73 kg), Benilce Araújo (J1 até 57 kg), Lúcia Araújo (J2 até 57 kg), Giulia Pereira (J2 até 48 kg) e Roberto Paixão (J1 até 60 kg). Dos brasileiros em ação neste sábado, apenas Larissa Silva (J1 até 57 kg) e Elielton Oliveira (J1 até 60 kg) não foram ao pódio.

Foto: Tuane Fernandes/CBDV
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top