Brasil perde para os Estados Unidos de virada e é eliminado da Liga das Nações de Vôlei

Time brasileiro parou nas quartas e agora foca no Mundial (Foto: FIVB)

A seleção do Brasil perdeu para os Estados Unidos de virada e foi eliminada nas quartas-de-final da Liga das Nações de Vôlei Masculino, nesta quarta (20), em Bolonha, na Itália. Apesar de demonstrar qualidade em muitos setores, o time perdeu por alguns detalhes por 3 sets a 1 (25-20; 22-25; 23-25; 17-25)

Como resultado, o time brasileiro perdeu a chance de disputar o bicampeonato no torneio. A última vez em que o Brasil não ficou entre os quatro melhores na competição, ou na que a precedia, a Liga Mundial de Vôlei, foi em 2015.

Agora, o time concentra suas atenções para a disputa do Mundial de Vôlei, que será disputado na Polônia e na Eslovênia, entre 26 de agosto e 11 de setembro deste ano.

O time de Renan Dal Zotto entrou em quadra com Bruno, Leal, Isac, Lucarelli, Flávio, Darlan e Thales, como líbero. Já o do treinador estadunidense John Spreaw entrou com Ensing, Jendryk, Russell, Defalco, Christenson, Smith e o líbero Shoji.

Brasil impõe seu jogo no primeiro set

Lucarelli abriu o placar da partida explorando o bloqueio, mostrando como o Brasil estava concentrado na partida. Num ataque de Leal, o time fez 7-3 obrigando os estadunidenses a pedirem o primeiro tempo técnico. Forçando o saque, principalmente com Darlan, o Brasil conseguiu manter uma margem de quatro pontos. Os Estados Unidos chegaram a diminuir o placar para 14-13, mas com uma ótima sequência brasileira e a habilidade de Leal a vantagem voltou e foi mantida até o fim do set, decidido com um excelente ataque do jogador em 25-20.

Estados Unidos reagem no segundo set

Os Estados Unidos voltaram mais agressivos e com um ace de Ensing abriram 8-5 e conseguiram manter a diferença até o tempo técnico. Nesse momento, Renan tentou modificar a cara do time colocando Lucão pela primeira vez no jogo. Mesmo assim, os time estadunidense consegui abrir cinco pontos de vantagem ao incomodar a nossa seleção com uma melhora no saque. No final do set, o Brasil conseguiu diminuir a diferença, mas com um ataque de Russell explorando o bloqueio, o time adversário fechou em 25-22.

No detalhe, estadunidenses viram terceiro set no final

O terceiro set começou bem equilibrado, com troca de ataques e erros para os dois lados, até que a clássica combinação Bruno-Lucão deu a primeira boa vantagem ao Brasil, 6-4. O saque forçado voltou a funcionar e após um belo ataque de Darlan explorando o bloqueio, os Estados Unidos solicitaram uma parada com o placar a 10-6. Após três erros de saque brasileiros e crescimento dos estadunidenses no bloqueio, o placar ficou empatado 16-16. Darlan desafogou com um ponto de ataque e um belo saque, 19-17, mas os estadunidenses voltaram a igualar o placar com Russell explorando o bloqueio e, logo depois, viraram em 22-21, mantendo a vantagem mínima para fechar em 25-23, com um ponto de Defalco após uma disputa de bola na rede.

Estados Unidos aproveitam erros e eliminam o Brasil

Jogando pela vida na competição, o Brasil começou o terceiro set desconcentrado e cometendo uma série de erros viu os Estados Unidos abrirem 7-1 no placar. Com o passe na mão, os estadunidenses aproveitaram a instabilidade do time brasileiro indo para o tempo técnico vencendo por 12-5, com um ataque liso de Russell. Um bloqueio de Flávio fechou uma pequena reação brasileira no set, quando o placar caiu para 13-9. Isso fez o volume de jogo do time brasileiro aumentar, fazendo com que o Brasil diminuísse o placar para 16-15 com um erro dos Estados Unidos. O placar voltou a abrir, 21-17, depois de uma boa sequência dos estadunidenses e dois erros seguidos do Brasil. Bastou controlar o jogo para os Estados Unidos fecharem em 25-17, com um ace de Christenson.

Na semifinal, os Estados Unidos enfrentam o vencedor de Polônia e Irã, que jogam nesta quinta (21), às 16h. 

Itália sua para bater os Países Baixos

No segundo jogo das quartas-de-final, nesta quarta (20), a Itália venceu os Países Baixos por 3 a 1 (21-25;25-22;25-13;25-22). Os donos da casa sofreram pela ansiedade e, depois de travar uma batalha equilibrada acabaram perdendo o primeiro set. Mais confiantes, começaram a desequilibrar no saque o time neerlandês. 

O desempenho ruim do principal jogador dos Países Baixos, Abdel-Aziz Nimir, que sofria com dores nas costas, ajudou o time italiano nos sets seguintes, vencendo o terceiro por uma grande vantagem de 12 pontos. No último set, os neerlandeses lutaram muito, mas não conseguiram barrar jogadores como Romanò, Michieletto e Russo, que garantiram uma pequena vantagem para a Itália, suficiente para fechar a partida.

O adversário italiano nas semifinais será conhecido nesta quinta (21) e será o vencedor do jogo entre França e Japão, às 13h.

Brasil na VNL 2022

O Brasil teve uma campanha oscilante nesta edição da Liga das Nações de Vôlei, vencendo 8 e perdendo 4 jogos na primeira fase. Uma derrota para a China, por 3 a 0, em Brasília, ligou o alerta sobre o desempenho da nossa seleção. Neste momento, o Brasil perdeu a liderança do ranking mundial pela primeira vez em quase duas décadas.

Confira a campanha do Brasil da VNL 2022:

1ª semana - Brasília, Brasil

Brasil 3 x 0 Austrália

Brasil 3 x 1 Eslovênia

Brasil 1 x 3 Estados Unidos

Brasil 0 x 3 China

2ª semana - Sofia, Bulgária

Brasil 1 x 3 Polônia

Brasil 3 x 0 Sérvia

Brasil 3 x 0 Irã

Brasil 3 x 0 Bulgária

3ª semana - Osaka, Japão

Brasil 3 x 1 Alemanha

Brasil 3 x 0 Canadá

Brasil 0 x 3 França

Brasil 3 x 0 Japão

Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top