Brasil inicia participação no Mundial de Atletismo nesta sexta


A edição 2022 do Campeonato Mundial de Atletismo começa nesta sexta-feira (15/7) na cidade de Eugene, Oregon, Estados Unidos, a partir das 9:05 locais (13:05 no horário de Brasília), com a qualificação do lançamento do martelo masculino. E logo no primeiro dia o Brasil terá 20 atletas em ação, em finais, eliminatórias e qualificação.

As três finais programadas para esta sexta-feira são os 20 km marcha atlética feminina (17:10), 20 km marcha masculina (19:10) e o revezamento 4x400 m misto (23:50) – todos horários de Brasília. Antes da final, o revezamento misto faz a eliminatória, a partir das 15:45.

O Brasil terá 57 atletas na competição, que prossegue até o dia 24, com a participação de 1.900 inscritos, representando 192 países, em 49 especialidades. Fernando Ferreira, do salto em altura, não conseguiu o visto americano a tempo de viajar.

A equipe brasileira terá Viviane Lyra, Caio Bonfim, Matheus Correa e Lucas Mazzo na marcha atlética, que será disputada em um circuito de rua de 1 km, próximo ao Estádio Autzen, que faz parte do complexo esportivo da Universidade do Oregon. Os quatro vão reconhecer o percurso nesta quinta-feira (14/7).

“Estou pronta para o meu segundo Campeonato Mundial. É uma competição dura, mas vamos com tudo”, comentou Viviane, que chegou terça-feira (12/7) aos Estados Unidos e já treinou dois dias. Viviane está inscrita também nos 35 km, sua prova preferida, que será na manhã do dia 22.

Na final masculina, o destaque é Caio Bonfim, ganhador da medalha de bronze nos 20 km do Mundial de Londres-2017. Considerado o principal atleta de marcha da história no Brasil, ele fez a sua preparação final em um camping na cidade norte-americana de Flagstaff, no Arizona, que fica a mais de 2.000 m de altitude. “O camping foi muito bom. Conseguimos executar todo o planejamento de treino. E a expectativa é muito boa”, comentou Gianetti Sena Bonfim, treinadora e mãe de Caio, que disputará ainda no dia 24 os 35 km. “A lista de participantes da marcha é forte e a competição reúne os melhores de todos os tempos de seus países. Bom saber que estamos entre eles.”

Responsável no Mundial também por Matheus Correa e Lucas Mazzo, Gia acredita que possam marchar perto de seus melhores resultados. “Eles estão também em suas melhores formas física e certamente vão representar bem o Brasil”, concluiu.

O treinador-chefe Victor Fernandes comentou sua expectativa sobre o Brasil no Mundial. “Os nossos destaques individuais são o Alison dos Santos, o primeiro no ranking mundial dos 400 m com barreiras, o Thiago Braz, que é o terceiro no salto com vara, o Darlan Romani, que sempre chega forte e venceu o arremesso do peso no Mundial Indoor de Belgrado, em março, e o marchador Caio Bonfim, que tem grande experiência em competições internacionais”, comentou. “Temos ainda o Rafael Pereira, nos 110 m com barreiras, um menino que chegou agora, mas tem feito grandes resultados em competições importantes. No feminino também vale destacar a Izabela Rodrigues, que foi finalista olímpica do lançamento do disco, e a Viviane Lyra, da marcha”, prosseguiu.

Além de Caio, Matheus, Lucas e Viviane, da marcha, o Estádio Hayward Field receberá as provas de pista e campo e competem no primeira dia Allan Wolski, no grupo B da qualificação do lançamento do martelo; Thiago Moura, no grupo B do salto em altura; Lívia Avancini e Ana Caroline Silva, no arremesso do peso; Samory Uiki, no salto em distância; Mariana Marcelino, no lançamento do martelo; Darlan Romani, Welington Morais e Willian Dourado, no arremesso do peso; Erik Cardoso, Felipe Bardi e Rodrigo do Nascimento, nas eliminatórias dos 100 m, e Douglas Mendes, Tiffani Marinho, Vitor Hugo de Miranda e Tabata Carvalho na eliminatória do 4x400 m misto.

“Vamos ver se melhoramos o recorde sul-americano do Brasil na prova”, disse o treinador Evandro Lazari, referindo-se aos 3:16.12, marca obtida no Mundial de Doha-2019. Serão duas séries eliminatórias e o Brasil está na segunda. Passam para a final os três primeiros de cada série e os dois melhores tempos no geral.

“A expectativa é muito grande – e não por pressão –, com atletas fazendo resultados na hora certa, o que mostra o bom trabalho de todos. Destaco o fato de estarmos bem representados em todos os grupos de provas, o que mostra a diversidade e o trabalho no atletismo brasileiro. Faço um registro especial pelo fato de termos 11 atletas nos lançamentos e arremessos, o que é um crescimento fantástico no Brasil, que há anos não tinha representantes nessas provas”, comentou o presidente do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Atletismo, Wlamir Motta Campos.

“Também destaco a marcha atlética, muito bem representada. O crescimento em todos os grupos de provas é muito claro”, comentou Wlamir. “Espero que os atletas façam o seu melhor, aproveitem essa grande festa do atletismo mundial. É hora de brilhar, de fazer o melhor desempenho e que deem o exemplo – as categorias de base se inspiram nesses atletas. Estou bem confiante de que faremos um Mundial histórico”, acrescentou Wlamir, que vai acompanhar a competição do Brasil.


Postar um comentário

To Top