Brasil, de virada, bate a Sérvia e está na final da Liga das Nações


Seleção brasileira comemora ponto. Foto: FIVB/Reprodução


Após início de jogo tenso com um primeiro set abaixo, Brasil colocou novamente em quadra o seu poder de recuperação, em Ankara, Turquia, na manhã deste sábado (16). A seleção brasileira fez grande partida, venceu a Sérvia em 3 sets a 1, com parciais de 25-14, 18-25, 24-26 e está classificada para a final da Liga das Nações de vôlei feminino. Brasil aguarda o vencedor entre Itália e Turquia, que jogam logo mais, às 12h30, para conhecer seu adversário na grande decisão no domingo (17), às 12h30 (de Brasília). Sérvia também aguarda o resultado da partida para a disputa de terceiro lugar, às 9h, antes da final.

Sérvia, que chegou empolgada após eliminar a atual campeão olímpica e do torneio, a seleção estadunidense, veio disposta a dar trabalho para o Brasil e mostrou isso logo no início do jogo com um contundente primeiro set. Mas a seleção brasileira conseguiu corrigir seus fundamentos e diminuir o nervosismo para respirar e virar o jogo.

Destaques para Kisy, maior pontuadora com 19 pontos, Julia Bergmann, com atuações em momentos decisivos marcou 16. Do lado sérvio, Bjelica com 17 e Stevanović com 15 pontos. 

O jogo

1º Set

Brasil não teve um bom início de jogo e sofreu com os bloqueios e contra-ataques da seleção sérvia que caçou Julia Bergmann no saque. Com dificuldades para virar as bolas no chão, a seleção brasileira correu atrás do placar e se mostrou desconfortável na partida. Gabi em bola acelerada empatou em 7 a 7 para o Brasil. Em seguida, Carol faz o oitavo ponto brasileiro e o único de bloqueio no set contra 7 pontos sérvios no mesmo fundamento. Mais consistente em seu sistema de saque, bloqueio e defesa, Sérvia abriu seis pontos de vantagem em 16 a 10. Brasil não conseguiu se recuperar e viu as adversárias fecharem com em 25 a 14. 

2º Set

Brasil entrou definitivamente na partida no segundo set. Gabi fez o 4 ponto numa diagonal curta, com parcial contra em 7 a 4 e contribuiu bastante no fundo de quadra. Brasil encostou no placar com contra-ataque de Julia Bermann. Com 9 a 7, Carol foi pro saque e comandou a reação brasileira jogando pressão na recepção adversária. Kisy abre 10 a 9 com brasil passando a frente pela primeira vez na partida. Em erro sérvio, a vantagem aumenta para 2 pontos em 11 a 9.

O saque brasileiro mais calibrado ajudou a dilatar a vantagem no placar. Com uma vantagem de 4 pontos, fez 14 a 10, aumentou para 17 em erro na recepção das comandadas do técnico Santarelli. Com ataque de Carol Brasil fechou o segundo set em 25 a 18.


3º Set

O terceiro set foi de tirar o fôlego. Brasil continuou com dificuldades na recepção e o técnico Zé Roberto optou pela troca de líberos: Natinha por Nyeme, para  estabilizar mais o passe. A estratégia deu certo. Sérvia que tinha aberto 6 a 1 no início do terceiro set, viu a seleção ver e amarela crescer na parcial. Gabi com largadinha na entrada de rede diminuiu a diferença em 11 a 14. Stevanović puxou a responsabilidade para não deixar a seleção brasileira crescer em 21 a 17. Mas em erro de ataque sérvio, Brasil passou a frente em 23 a 22. Bergmann fez o 25º após belo rally e Kudiess fechou o set em 26 a 18.

4º Set

O quarto set começou mais equilibrado. Mas a seleção brasileira, embalada pela própria recuperação, conseguiu brilhar ainda mais com seus ataque, bloqueio e defesa mais seguros e consistentes. Kisy empatou a parcial em 5 a 5 com diagonal longa. Em erro de Stevanović, Brasil passou a frente e aumentou com Gabi em 7 a 5. Brasil aumentou com bloqueio de Carol 9 a 7. Bergmann explora o bloqueio e estica a vantagem em 15 a 11. A ponteira fez boa passagem no saque e dificultou o passe sérvio que não estava mais confortável. Brasil fechou em 25 a 19, com 3 sets a 1.

Brasil: Macris Carneiro, Julia Kudiess, Carol, Gabi, Kisy, Júlia Bergmann e Natinha (líbero). Entraram: Nyeme, Roberta, Lorenne e Rosamaria. Técnico: José Roberto Guimarães.

Sérvia: Bojana Drča, Ana Bjelica, B. Milenković, S. Lozo, M. Aleksić, J. Stevanović e Teodora Pušić (líbero). Técnico: Daniele Santarelli. 
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top