Seleção Brasileira de natação paralímpica aterrissa em Portugal e inicia período de adaptação e treinos para Mundial


A delegação brasileira de natação paralímpica aterrissou na quinta-feira, 2, em Funchal, Portugal, onde será realizado o Mundial da modalidade, a partir do dia 12 e até 18 de junho. Ao todo, 29 atletas foram convocados para representar o país nas provas individuais e de revezamentos.

O plano de voo dos atletas e comissão técnica contou com duas rotas distintas de São Paulo, local de partida de toda a Seleção Brasileira, até o local das disputas na Europa. Um grupo fez voo direto de Guarulhos, enquanto outro fez a viagem com escala no Recife (PE). Depois, ambos precisaram ainda enfrentar mais um voo de Lisboa a Funchal.

“Foi uma viagem muito tranquila, mas cansativa. Foram quase 10h de São Paulo até Lisboa, e depois mais 1h45 até Funchal. Mesmo assim, conseguimos já fazer um treino de reconhecimento na piscina de competição, para manter o contato com a água. Amanhã, vamos retomar os treinos com o objetivo principal, que é o Mundial que está chegando”, afirmou o mineiro Gabriel Araújo, da classe S2, campeão paralímpico nos Jogos de Tóquio e um dos estreantes do país na competição.

"Acabamos de chegar e já estamos hospedados. O lugar é muito lindo de conhecer. Agora é descansar da viagem e, ao mesmo tempo, focar nos treinos e na competição. Estou muito animado de disputar o meu primeiro Mundial e fazer parte dessa delegação brasileira", completou o paulista Samuel de Oliveira, da classe S5.

Agora, os atletas dão início ao processo de adaptação ao novo fuso de quatro horas em relação à Brasília, com nova rotina de alimentação e treinos, elaborada de maneira integrada entre comissão técnica e os departamentos de Ciências de Esportes e nutrição do CPB.

Os primeiros atletas que chegaram em Funchal já fizeram os primeiros treinos em piscinas nesta quinta. Além das academias dentro do hotel, o Comitê Paralímpico Brasileiro disponibizará um espaço de treino externo, com mais equipamentos específicos para os exercícios voltados à modalidade.

O Brasil busca superar a campanha do último Mundial, em Londres 2019, quando o país conquistou 17 medalhas no total, sendo cinco ouros, seis pratas e seis bronzes.

No entanto, entre os Mundiais de natação paralímpica mais recentes, a melhor participação do Brasil aconteceu na Cidade do México 2017, quando os nadadores brasileiros subiram ao pódio 36 vezes, sendo 18 ouros, nove pratas e nove bronzes.

Naquela ocasião, o país ficou em quarto lugar no quadro geral de medalhas, assim como em Glasgow 2015, quando a Seleção Brasileira voltou para casa com 23 medalhas – 11 de ouro, oito de prata e quatro de bronze.

Foto: Wander Roberto/CPB

Postar um comentário

To Top