Referendo adiado freia planos da candidatura da Espanha aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2030

Na última sexta-feira (31), um referendo que visava aferir o apoio público aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Pirineus-Barcelona 2030, foi adiado devido a um impasse entre os governos de Catalunha e Aragão. Segundo o Comitê Olímpico Espanhol (COE), representantes de ambos governos não conseguiram fechar um acordo sobre os locais dos jogos.

O duplo referendo que estava marcado para 24 de julho, seria organizado pelas jurisdições impactadas com a presença dos Jogos em 2030, porém pode ser remarcado caso os novos planos de candidatura fiquem prontos.

Parceiros regionais do COE, Catalunha e Aragão, em sua décima primeira reunião conjunta realizada na última semana, não apresentaram nenhuma solução, nem plano técnico que pudesse tirar do papel a tão aguardada realização dos jogos.

Motivo de disputa e briga, a distribuição dos eventos causou um colapso no andamento do projeto. De acordo com os planos propostos, 54 do total de eventos seriam realizados no território aragonês e 42 na Catalunha.

Impasse


Ambas as partes trocaram acusações públicas sobre boicote e processos que dificultaram o andamento das propostas. Além do mal estar causado pela disputa política, o grupo de oposição aos jogos chamado 'Stop JJOO' também exigiu que todas as partes cancelassem ofertas futuras imediatamente.

Laura Vilagrà, ministra da presidência da Catalunha, tentou acalmar os ânimos. Em entrevista ao Catalan News relatou "reativaremos o decreto do referendo assim que houver um acordo e soubermos quais competições serão realizadas em cada local", disse a ministra.

O presidente do COE, Alejandro Blanco, disse ao Herald de Aragón, que está disposto a trabalhar com ambas as partes para construir um acordo. “Farei reuniões bilaterais para saber onde estamos. E se eu ver que existe a possibilidade de um acordo, vou convocar um de todos juntos”, disse.

Atrasos já causaram o adiamento de duas visitas técnicas do Comitê Olímpico Internacional (COI) à Espanha. Embora mantenha a esperança, Blanco teme que os impasses entre Catalunha e Aragão custem caro e ofertas rivais de Vancouver, Sapporo e Salt Lake City deixem a de Barcelona para trás. Se a Espanha não estiver pronta para sediar em 2030, Blanco disse que sua equipe estará em diálogo contínuo com o COI e a próxima meta será os Jogos de 2034.

Nesta quarta-feira (1), Vilagrà em comunicado à mídia numa cerimônia realizada na sede do COE, relatou ao presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que o governo catalão está disposto a optar pelos Jogos Olímpicos de Inverno com uma proposta à parte se não houver acordo com Aragão. Ressaltou, no entanto, que a iniciativa tem objetivo colaborativo e não exclusivo.

Foto: Divulgação

Postar um comentário

To Top