Saltadora Vanessa dos Santos quebra o recorde nacional no Brasileiro sub-20 e é a número 1 do mundo no sub-18


A paulistana Vanessa Sena dos Santos (AD Centro Olímpico-SP) foi um dos destaques do segundo dia do Campeonato Brasileiro de Atletismo Sub-20, disputada no sábado (23/4), no Estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, na Vila Clementino, em São Paulo. Ela venceu a prova do salto em distância, com 6,35 m (0.3), novo recorde brasileiro sub-18, melhor marca do mundo na categoria e terceira melhor marca do Ranking da World Athltetics Sub-20.

Com o resultado, a atleta convocada para representar o Brasil no início de maio nos Jogos Sul-Americanos da Juventude Sub-18, em Rosário, Argentina, ratificou o índice para o Campeonato Mundial Sub-20 de Cáli, de 1 a 6 de agosto, e a vaga para o Campeonato Pan-Americano da categoria, de 3 a 5 de junho, no Rio de Janeiro. Além disso, ela está qualificada para a Gymnasíade – o Mundial Escolar – de 14 a 22 de maio, na Normandia, França.

"Estou muito feliz com a sequência de boas e importantes competições. Não esperava uma marca tão boa agora. Meu objetivo é o pódio no Mundial", disse Vanessa, de 16 anos, que treina há 5 anos com Alexandre Moratto, no Centro Olímpico.

O recorde brasileiro anterior sub-18 era de Janaína Aparecida Fernandes, com 6,21 m (0.1) desde 14 de julho de 2013, marca obtida em Donetsk, Ucrânia. Na prova deste sábado, ela saltou, pela ordem, 6,20 m (-1.1), 6,10 m (-1.4), 6,31 m (0.2), 5,98 m (-0.5), 6,13 m (0.3) e 6,35 m (0.3). O índice exigido pela World Athletics para o Mundial de Cáli é 6,12 m.

"Agora, estou mais confiante ainda. Estou bem treinada e acho que posso conseguir um resultado melhor ainda em Rosário", disse a atleta, que faz também os 200 m e mora em Capão Redondo, na região Sudoeste de São Paulo. "Com a linha nova do Metrô agora está uma maravilha, 30 minutos de casa até o Centro Olímpico", concluiu.

Maria Eduarda Cândido Teixeira (APCEF/MG) ficou com a medalha de prata, com 6,03 m (1.3), seguida de Mariana de Oliveira Muller (Corville-SC), com 5,82 m (1.5).

Outro destaque foi o brasiliense Vinícius Moura Galeno (CASO-DF), bicampeão dos 400 m. Aos 17 anos completados em março, o atleta fez a prova em 46.68, ratificando o índice para o Mundial de Cáli. Assim como Vanessa, Vinícius também foi convocado para os Jogos Sul-Americanos da Juventude, a Gymnasíade da França e garantiu vaga no Pan-Americano do Rio.

"Havia conseguido o índice na semifinal e fui melhor agora. Fiquei a apenas cinco centésimos de segundo do recorde brasileiro", disse o corredor treinado pelo casal João Sena e Gianetti Bonfim, referindo-se à marca de 46.63 que pertence a Diego Venâncio desde 2002. "Estou muito feliz e quero aproveitar para surfar nessa onda de bons resultados", completou o atleta que participou do Mundial de Nairóbi-2021.

João Henrrique Ribeiro Barros (ASPMP-SP) também correu abaixo dos 47.60, exigidos pela WA. Ele terminou em segundo lugar, com 47.08. "Realizei um objetivo imediato, que era o índice para o Mundial. Estou contente e agora é me concentrar nos treinamentos", disse o atleta de 19 anos, nascido em Aliança de Tocantins (TO), que também integrou a equipe em Nairóbi. José David Costa do Nascimento (AERO-RN) ficou com a medalha de bronze, com 48.27.

Outro índice foi alcançado por Giovana Corradi (AD Centro Olímpico-SP). Ela correu os 100 m com barreiras – primeira prova do heptatlo -, com 13.75 (0.2), superando os 14.20 exigidos pela WA para o Mundial de Cáli.

No arremesso do peso, Rodrigo da Silva Trenhago (AABLU-SC) comemorou o bicampeonato brasileiro, com 17,39 m. "Embora não tenha gostado do resultado, fico feliz com o título e espero conseguir marcas melhores num futuro próximo", comentou. "Estou muito feliz com o desempenho do Darlan Romani nos últimos anos. Ele tem dado maior visibilidade para o arremesso do peso, que nos ajuda até em conseguir patrocínio", concluiu.

No salto em distância masculino, o desfalque foi Gabriel Boza (APA-SP), qualificado para o Mundial, que sentiu uma lesão muscular no aquecimento para a qualificação. O campeão da prova foi o paranaense Matheus Aparecido de Barros (AAP-PR), com 7,54 m (-1.0).

O atletismo tem polos importantes espalhados por todo o País. Um exemplo disso foram as finais dos 800 m do Campeonato Brasileiro Loterias Caixa Sub-20, disputada na tarde deste sábado (23/4), no Estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, na Vila Clementino, em São Paulo. O potiguar Gabriel Porfírio dos Santos (AERO-RN), de 18 anos, e a mato-grossense Júlia Silva Gonçalves (Barra do Garças-MT), de 16 anos, venceram bem a final por tempo.

Campeão sul-americano sub-18 no ano passado em Encarnación, no Paraguai, Gabriel fez uma prova bem disputada e ganhou o ouro com 1:53.11. "Esperava lutar por uma medalha e, claro, fiquei muito satisfeito com o ouro", disse o atleta nascido em Canguaretama. "O objetivo agora é melhorar meu resultado e brigar por um lugar no pódio também no Campeonato Pan-Americano Sub-20 do Rio de Janeiro", completou o corredor, que treina com Antônio Carlos Carvalho da Silva na cidade de Baía Formosa, que fica a cerca de 100 km de Natal. Baía Formosa ficou famosa por ser a terra de Ítalo Ferreira, campeão olímpico de surfe no Japão.

Victor Augusto Carpeggiani (Balneário Camboriú-SC) ficou com a medalha de prata, com 1:53.40, enquanto Marcos Vinícius da Silva Marcondes (Barra do Garças-MT) levou o bronze, com 1:54.64.

Já Júlia é uma veterana de pódios nos Campeonatos Brasileiros, apesar da pouca idade. Ela ganhou no ano passado o título dos 800 m no Sub-18 e dos 1.000 m do Sub-16. Ela completou as duas voltas na pista em 2:16.00. "Fiquei feliz com a vitória, mas esperava um tempo em torno de 2:13 ou 2:14. Não foi desta vez", comentou a atleta, que esperava ser mais rápida no Pan do Rio. "Tenho condições de correr melhor e vou treinar para isso", concluiu a corredora nascida em São José do Xingu e que é orientada pelo professor Sivirino Souza dos Santos.

Stefany dos Santos Ribeiro (AASF-BA) garantiu a prata, com 2:17.09, seguida de Dhenifer Fernandes Vaz (FECAM/ASSERCAM-PR), com 2:17.52.

No decatlo, especialidade que indica o atleta mais completo da categoria, a vitória foi do mineiro Luiz Arthur Caetano da Silva Santos (APCEF/MG), que somou 6.461 pontos nos dois dias de competição. "Fiquei surpreso com a vitória. Eu não esperava ganhar sinceramente. Além de vencer ainda bati meu recorde pessoal. Estou muito feliz", disse Luiz Arthur, que treina com Márcio Prudente na Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

José Darlan Souza de Lima (Sport Club do Recife-PE) foi o segundo colocado, enquanto Vítor Lazarim (Barra Bonita-SP) assegurou a terceira posição no pódio.

Kaue Orvalho Domingues (IEMA-SP) venceu a final dos 5.000 m (15.51.51), seguido por Gustavo Felipe da Costa (Atletismo Casa do Garoto/Tupã, com 16.04.72) e Vitor Miguel Redlinski (FME Timbó, com 16.10.97).

Depois de garantir qualificação nos 100 m para o Mundial Sub-20 na sexta-feira (23/4), o paranaense Renan Gallina (AA Maringá-PR) venceu neste sábado a oitava série da semifinal por tempo dos 200 m, com 21.20 (1.3), alcançando o índice para Cáli (21.40), em agosto.

Embora feliz, não pôde comemorar como gostaria. No fim da prova, sentiu dores no posterior da coxa esquerda e não disputará a final da prova neste domingo (24/4). "Falei com minha treinadora e achamos melhor não correr o risco de agravar a lesão. Vamos tratar e pensar no Pan e no Mundial", disse Renan, campeão dos 100 m do Brasileiro, com o tempo de 10.52 (0.1).

Postar um comentário

To Top