Polônia diz que irá boicotar o mundial de natação se atletas de Belarus e Rússia participarem



A Federação Polonesa de Natação emitiu um comunicado que irá boicotar o Mundial de Esportes Aquáticos programado para acontecer esse ano na Hungria, caso os atletas da Rússia e de Belarus tenham permissão para competir. A posição adotada pelo órgão polonês, também foi a mesma da Federação Suíça de Natação.

A Fina é uma das poucas organizações esportivas que não baniu completamente atletas da Rússia e de Belarus pela invasão a Ucrânia.

A decisão tomada pela Bureau da Fina é de que os atletas tem a opção de participar como atletas neutros, no entanto ficou observado que caso “a participação dos mesmo ameacem a segurança e o bem-estar dos atletas”, a entidade pode proibir os atletas da Rússia e Belarus de participarem da competição.

Vale lembrar que apesar da recomendação do COI de realocar todas as competições da Rússia, ainda está marcado para acontecer o Mundial de Natação em Piscina Curta para acontecer em dezembro na cidade de Kazan.

A presidente da Federação Polonesa de Natação, Otylia Jedrzejczak, observou que a tomada de decisões da FINA não foi boa o suficiente e que os países devem ser excluídos.

“A diretoria da Federação Polonesa de Natação, em consulta com os representantes dos atletas, decidiu boicotar o Mundial de Esportes Aquáticos”, disse Jedrzejczak.

“Esta decisão está relacionada com a decisão da FINA de permitir a participação de atletas da Rússia e de Belarus”.

“A comunidade de natação polonesa, como a maioria dos representantes do mundo livre, está chocada com os eventos que estão acontecendo na Rússia”.

“Nenhum de nós pode imaginar hoje uma competição esportiva com os atletas da Rússia, nem de Belarus, ou quem apoia a agressão na Ucrânia”.

A Polônia é a nação que mais tem recebido refugiados vindos da Ucrânia desde o início da invasão.

O Mundial de Esportes Aquáticos será realizado entre 18 de junho até 3 de julho, em Budapeste, Hungria.

Foto: Divulgação

Postar um comentário

To Top