CPB e Prefeitura do RJ anunciam Time Rio Paralímpico para apoiar atletas no ciclo Paris 2024


O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro, apresentou o Time Rio de Janeiro Paralímpico 2022, durante evento realizado na quinta-feira, 24, no Palácio da Cidade, em Botafogo, na capital fluminense. O projeto também contemplará atletas olímpicos.

O Time Rio Paralímpico havia sido criado em janeiro de 2012, durante a primeira gestão do prefeito Eduardo Paes à frente da capital fluminense. O programa será voltado aos atletas nascidos ou que treinam no Rio. O objetivo é auxiliá-los na preparação para o Parapan de Santiago em 2023 e para os Jogos de Paris 2024.

“É de uma alegria fantástica poder falar deste projeto. Gostaria de parabenizar esses atletas do Rio, pois eles merecem. Tenho certeza de que, tanto em Santiago quanto em Paris, eles vão encher essa casa de medalhas. Os frutos que vocês vão colher para a cidade do Rio são inimagináveis porque são atletas de alto rendimento e vão ser espelhos para outras pessoas com deficiência em todo o Rio de Janeiro”, afirmou Yohansson Nascimento, vice-presidente do CPB, durante sua fala na cerimônia.

“Com este projeto, vamos buscar recuperar o protagonismo da cidade do Rio como centro esportivo da América Latina. O Time Rio representa o sonho de pessoas que trabalharam para ter os Jogos aqui na cidade e para que o local pudesse ser, novamente, um espaço de referência no esporte. E agora devemos nos apropriar desse legado. O esporte é transformador e o Time Rio é um rumo novo que damos à cena esportiva do Rio de Janeiro”, completou o secretário de Fazenda e Planejamento do Rio, Pedro Paulo.

A cerimônia marcou a assinatura do convênio entre as entidades. A parceria vai beneficiar 60 atletas no total (sendo 24 paralímpicos, divididos igualmente entre homens e mulheres), com orçamento previsto de R$ 4,32 milhões para o ano de 2022.

Estiveram presentes no evento o vice-presidente do CPB, Yohansson Nascimento, o diretor de esportes de alto rendimento do CPB, Jonas Freire, o secretário municipal de Esportes do Rio, Guilherme Schleder, o secretário de Fazenda e Planejamento do Rio, Pedro Paulo, a secretária municipal da Pessoa com Deficiência do Rio, Helena Werneck, o diretor-geral do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Rogério Sampaio, e o presidente da Comissão de Atletas do COB, Bernard Rajzman, além do ex-nadador multimedalhista paralímpico Clodoaldo Silva e atletas olímpicos.

Entre os atletas paralímpicos homenageados estavam os medalhistas Wallace Santos (ouro no arremesso de peso F55 em Tóquio 2020), Douglas Matera (prata no revezamento 4×100 m livre misto da natação em Tóquio 2020), Tuany Siqueira, prata no arremesso de peso e bronze no lançamento de disco no Parapan de Lima 2019, e os judocas Karla Cardoso (prata nos Jogos Paralímpicos de Pequim 2008 e Atenas 2004) e Willians Araújo (prata nos Jogos Paralímpicos Rio 2016).

“É muito importante a volta do Time Rio, podermos ter novamente estrutura para trabalhar na nossa cidade e ter condições de fazer uma nova história em Paris 2024. Agradeço ao CPB e à prefeitura do Rio por proporcionarem um programa de suma importância para os atletas cariocas. Esse apoio nos dá tranquilidade para nos dedicarmos ao esporte de maneira exclusiva”, discursou Wallace.

Para integrar o Time Rio, os atletas precisam atender a critérios gerais e outros específicos determinados por cada Comitê. Tanto para o CPB quanto para o COB, por exemplo, todos devem competir em provas já confirmadas no programa dos Jogos Paralímpicos e Olímpicos de Paris 2024 e serão selecionados por meio de resultados obtidos nessas provas. Eles também deverão ter potencial de classificação para os Jogos Paralímpicos Paris 2024, atestado por sua ENAD (Entidade Nacional de Prática Desportiva).

Em dezembro de cada ano durante o ciclo paralímpico, serão realizados procedimentos de avaliação dos atletas beneficiados pelo programa. Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, o Brasil terminou na sétima colocação no quadro de medalhas. Foram 72 pódios, sendo 22 medalhas de ouro, 20 de prata e 30 de bronze. O país igualou a sua melhor posição da história, já que havia sido também sétimo colocado em Londres 2012.

Foto: Divulgação/Luis Magão/Prefeitura do Rio

Postar um comentário

To Top