Brasil fecha 1º dia do Sul-Americano Indoor de Atletismo com 11 medalhas


O Brasil ganhou 11 medalhas (5 de ouro, 2 de prata e 4 de bronze) no primeiro dia de competições do Campeonato Sul-Americano Indoor de Atletismo, neste sábado (19/2), na cidade boliviana de Cochabamba. Nas duas últimas provas do programa levou os dois títulos sul-americanos dos 60 m, no feminino e masculino, com Rosângela Santos e Felipe Bardi. Ainda obteve a medalha de prata de Vitória Rosa e índices para o Mundial de Belgrado, na Sérvia, de 18 a 20 de março.

O Brasil fez dobradinha nos 60 m feminino. Rosângela Santos venceu com 7.24, seguida por Vitória Rosa (EC Pinheiros-SP), com 7.25. O índice exigido pela World Atlhetics para o Mundial Indoor é 7.30. Rosângela já havia feito 7.17, em fevereiro de 2021, mas Vitória Rosa, que correu pela primeira vez os 60 m indoor, obteve a marca de qualificação. A chilena Macarena Borie, com 7.43, ficou com o bronze.

"Estou feliz com o meu resultado nesta quinta vez que venho à Bolívia. A Vitória Rosa é muito rápida e também estou feliz por ela que correu bem os 60 m pela primeira vez. Nas semanas que faltam até o Mundial vou trabalhar muito. O objetivo é correr abaixo dos 7.17, melhorar a minha marca", afirmou Rosângela Santos, recordista sul-americana da especialidade.

Felipe Bardi (Sesi-SP) levou o título sul-americano nos 60 m, em sua estreia numa competição indoor, com 6.62, marca que além de valer o ouro é índice para o Mundial Indoor - superou em um centésimo os 6.63 fixados pela World Atlhetics. O colombiano Alejandro Larrua ficou com a prata, em 6.63, e o argentino Florio Franco com o bronze, em 6.70.

Erik Cardoso (Sesi-SP) ficou em quarto, com 6.71. Erik teve um resultado falso-positivo em seu teste de COVID, juntamente com Arielly Rodrigues (Pinheiros), do salto em altura, e não viajou no voo fretado da delegação brasileira que partiu para a Bolívia na madrugada de quinta-feira (17/2). Os atletas refizeram seus exames e diante de resultados negativos viajaram em voo comercial para Cochabamba (chegaram na sexta-feira, 18/2, ao meio-dia), num esforço da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para que participassem da competição.

No salto com vara, Abel Curtinove (AABLU-SC) levou um susto quando sua vara quebrou. Mesmo assim, seguiu na prova e tentou três vezes a altura de 5,25 m, mas não passou - ficou com a medalha de prata, com 5.05 m. O brasileiro Augusto Dutra (Pinheiros) ficou com o título sul-americano, com 5,50 m.

Outro título do dia para o Brasil veio com Raiane Vasconcelos Procópio (Pinheiros), no pentatlo, com 3.921 pontos. A boliviana Camila Delgadilho levou a prata e 3.202 pontos.

Mas foi Livia Avancini (IPEC-PR) quem ganhou a primeira medalha de ouro para o Brasil no Sul-Americano Indoor, no arremesso do peso, com 17,52 m. A brasileira Milena Jaqueline Sens (Associação do Clube de Atletismo de Rio do Sul-SC) ficou com o bronze (16,59 m) e a chilena Ivana Gallardo com a prata (17,03m).

"Foi minha primeira competição indoor, uma grande experiência. Minha segunda competição no ano e quero melhorar ainda mais. Aqui eu queria uma marca melhor, mas faltou um pouco de velocidade. Estamos ajustando as coisas nos treinamentos e minha meta é buscar os 18,30 m, 18,50 m", disse Livia elogiando a estrutura da competição e agradecendo a acolhida dos bolivianos.

As outras medalhas de bronze do dia foram ganhas por Jaqueline Beatriz Weber (Associação Recreativa Medalha de Ouro-RS), nos 1.500 m (4.49.42), Guilherme Kurtz (União Catarinense de Atletismo) também nos 1.500 m (3.57.58) e Eliane Martins (Pinheiros), no salto em distância (6,23 m).

Postar um comentário

To Top