Alemanha e Noruega vencem as finais do sprint por equipes do cross-country em Pequim

Equipes femininas fazendo a troca de atletas durante o revezamento

Duas batalhas acirradas marcaram as disputas pelo ouro nas finais dos sprint feminino e masculino por equipes nos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim 2022. Entre as mulheres, o ouro ficou com Katharina Hennig e Victoria Carl da Alemanha. No masculino, Erik Valnes e Johannes Klaebo da Noruega venceram a prova.

Na final feminina, as duplas de Suécia, Alemanha, Comitê Olímpico Russo, Estados Unidos e Finlândia ficaram o tempo todo entre as cinco primeiras colocações. Na última volta, EUA e Finlândia sobraram, ficando apenas as outras três equipes na briga pelo ouro.


Victoria Carl (GER), Natalia Neprayeva (ROC) e Jonna Sundling (SWE) travaram uma grande batalha no último quilômetro da prova, com as três esquiadoras se alternando na primeira colocação. Na entrada do estádio onde fica a chegada, Sundling estava emparelhada ao lado de Neprayeva na frente.

 Após a última curva, Victoria Carl usou uma raia externa dos trilhos de neve para ultrapassar as duas atletas e vencer a prova para a Alemanha por apenas dois décimos de segundo. A Suécia ficou na segunda colocação e o Comitê Olímpico Russo terminou em terceiro lugar.

Na disputa masculina, um pelotão de cerca de oito equipes conseguiu se manter próximo nas primeiras quatro voltas da final. Na penúltima volta, as equipes de Noruega, Finlândia e do Comitê Olímpico Russo abriram uma distância para os outros atletas.

Erik Valnes da Noruega durante a final do sprint em equipe - Foto: Lindsey Wasson/Reuters
Na volta final, a disputa era entre Johannes Klaebo (NOR), Joni Maki (FIN) e Alexander Terentev (ROC) pela primeira posição. Os três atletas foram se estudando ao longo da volta, se revezando na primeira posição. No trecho final, Klaebo partiu para uma arrancada e conseguiu manter a vantagem até o fim para levar a medalha de ouro para a Noruega. A Finlândia ficou com a prata e o Comitê Olímpico Russo com o bronze.

Foto de capa: Lindsey Wasson/Reuters

Postar um comentário

To Top