Guia Pequim 2022 - Patinação de velocidade em pista curta (short track)


FICHA TÉCNICA

Local de disputa: Capital Indoor Stadium
Período: 05/02 a 16/02
Delegações participantes: 23
Total de atletas: 112 
Brasil: sem representantes


A patinação de velocidade em pista curta (ou short track) surgiu como uma variante da patinação de velocidade tradicional. Inicialmente, a versão original da modalidade era disputada em pistas ao ar livre, com apenas dois atletas patinando por vez. Já as provas de short track, são todas no formato de largada em massa, com os atletas competindo juntos.

No início, as provas de largada em massa eram disputadas principalmente nos Estados Unidos e no Canadá. Geralmente elas eram sediadas em arenas fechadas, o que fazia com que as pistas em sua maioria fossem menores.

A modalidade foi reconhecida pela União Internacional de Patinação (ISU) em 1967, com o primeiro Campeonato Mundial sendo realizado nove anos depois. A patinação de velocidade em pista curta apareceu pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Inverno como esporte de demonstração nos Jogos de Calgary 1988. Quatro anos depois, o short track entrou de vez no programa olímpico.

Kim Ki-hoon, ouro nos 1000m em Albertville-1992: o primeiro coreano campeão dos Jogos Olímpicos de Inverno - Foto: Reprodução/Olympic Channel

COMO É A DISPUTA?


Em Pequim 2022, serão disputadas nove provas na patinação de velocidade em pista curta. No individual, as provas são nas distâncias de 500m, 1000m e 1500m, tanto no masculino como no feminino. A disputa é feita em várias baterias eliminatórias que podem ter de quatro a seis atletas com os melhores avançando de fase até a final, onde as medalhas são definidas.

O short track também tem provas de revezamento: de 3000m para as mulheres, de 5000m para os homens e a inédita prova mista de 2000m que terá sua estreia olímpica. Cada equipe tem quatro atletas na prova e eles vão se revezando, com um patinador tocando o outro colega de equipe para realizar a troca. O mais comum é que um atleta empurre outro da sua equipe para ajudar a dar mais velocidade na hora das trocas.

Todas as provas são disputadas em um rink de gelo de 60m de comprimento e 30m de largura, que são as mesmas medidas da patinação artística e do hóquei no gelo. Os atletas realizam várias voltas de 111,12m que são demarcadas por pequenos cones sobre o gelo.



O BRASIL NO SHORT TRACK


Até hoje, o Brasil só teve um representante em competições internacionais da modalidade: Felipe de Souza. Entre 2004 e 2007, o brasileiro participou de etapas da Copa do Mundo, ficando em 49º lugar na classificação geral dos 500m na temporada 2005/2006. 

Felipe participou do Mundial de 2007, onde foi o 42º colocado nos 500m, 47º nos 1000m, 53º nos 1500m e 51º na classificação geral. 

DESTAQUES


Coreia do Sul, China, Canadá e Estados Unidos são as principais potências da modalidade, com alguns destaques individuais de outros países. 

O maior campeão olímpico da história do short track é o sul-coreano Ahn Hyun-Soo, que posteriormente se naturalizou russo e competiu sob o nome Viktor An. O atleta tem seis ouros e dois bronzes. No feminino, a maior campeã é a chinesa Wang Meng, dona de quatro ouros, uma prata e um bronze. Abaixo, veja alguns dos principais nomes que estarão em Pequim 2022.

Arianna Fontana (Itália)

Fontana comemora o ouro nos 500m na última Olimpíada - Foto: Damir Sagolij/Reuters
A italiana Arianna Fontana é a única mulher que supera Wang no total de medalhas olímpcias, com oito. Porém ela tem apenas um ouro em quatro participações olímpicas. Ele veio em Pyeongchang-2018 nos 500m. Mas uma medalha de qualquer cor em Pequim fará com que Fontana seja a atleta com mais medalhas olímpicas no short track entre homens e mulheres. Nesta temporada, ela foi a campeã geral da Copa do Mundo nos 500m.

Suzane Schulting (Países Baixos)

Schulting no Campeonato Europeu de 2020 - Foto: ANP
Suzanne Schulting é a atual campeã olímpica dos 1000m. Foi o grande nome do último Campeonato Mundial, em 2021, onde conquistou todos os ouros possíveis: 500m, 1000m, 1500m, revezamento e no geral. Na temporada 2021/2022, ganhou nove medalhas de ouro em Copas do Mundo, somando provas individuais e revezamentos.

Choi Min-jeong (Coreia do Sul)


Choi após vencer a final dos 1500m em Pyeongchang-2018 - Foto: Shim Hyun-chul/The Korea Times
Choi Min-jeong é um dos destaques da Coreia do Sul na modalidade. Ela tem 20 medalhas em campeonatos mundiais e conquistou dois ouros em casa nos Jogos de Pyeongchang 2018: nos 1500m e no revezamento feminino.

Charles Hamelin (Canadá)

Hamelin foi um dos destaques do Canadá em Vancouver-2010, conquistando dois ouros em casa - Foto: Amy Sancetta/AP
O veterano canadense tem 41 medalhas em Campeonatos Mundiais e cinco medalhas olímpicas: três ouros, uma prata e um bronze. Neste ciclo olímpico, seu principal título foi o ouro nos 1500m no Mundial de 2021.

Irmãos Liu (Hungria)

Irmão Liu comemoram o ouro no revezamento em 2018, a primeira medalha dourada da Hungria em Jogos de Inverno - Foto: CFP Photo
A Hungria terá boas chances de medalha no masculino com os irmãos Shaolin e Shaoang Liu. Os dois foram parte da equipe húngara que venceu o revezamento nos Jogos de 2018. No último mundial, Shaoang foi o campeão geral e também nos 500m. Já Shaolin é o atual campeão do mundo nos 1000m. 

Wu Daijing (China)

Wu na final dos 500m em Pyeongchang-2018 - Foto: Agencies
Dono de quatro medalhas olímpicas, Wu Daijing vai defender o título dos 500m em Pequim. Ele também terá chance de subir ao pódio nos revezamentos masculino e misto.

CALENDÁRIO

05/02 às 08h00 - 500m feminino - eliminatórias
05/02 às 08h40 - 1000m masculino - eliminatórias
05/02 às 09h20 - revezamento misto 2000m - quartas, semifinais e finais
07/02 às 08h30 - 500m feminino - quartas, semifinais e finais
07/02 às 08h45 - 1000m masculino - quartas, semifinais e finais
09/02 às 08h00 - 1500m masculino - quartas, semifinais e finais
09/02 às 08h45 - 1000m feminino - eliminatórias
09/02 às 09h45 - revezamento feminino 3000m - semifinais
11/02 às 08h00 - 1000m feminino - quartas, semifinais e finais
11/02 às 08h20 - 500m masculino - eliminatórias
11/02 às 09h00 - revezamento masculino 5000m - semifinais
13/02 às 08h00 - 500m masculino - quartas, semifinais e finais
13/02 às 08h45 - revezamento feminino 3000m - finais
16/02 às 08h30 - 1500m feminino - quartas, semifinais e finais
16/02 às 09h45 - revezamento masculino 5000m - finais

*todas as provas estão no horário de Brasília

Postar um comentário

To Top