Guia Pequim 2022 - Combinado nórdico


FICHA TÉCNICA

Local de disputa: Kuyangshu Nordic Centre and Biathlon Center
Período: 09/02 a 17/02
Delegações participantes: 19
Total de atletas: 55
Brasil: sem representantes

O combinado nórdico é uma modalidade disputada apenas por homens, com sua primeira disputa feita em 1892, na Noruega e como diz o nome, combina dois esportes: salto com esqui e esqui cross-country. Ele está no programa olímpico desde Chamonix-1924, a primeira Olimpíada de inverno. 

Johan Grøttumsbråten da Noruega foi ouro no combinado nórdico em Saint-Moritz-1928 e Lake Placid-1932 - Foto: Enert Gran

COMO É A DISPUTA?

Primeiro os atletas saltam. A pontuação nos saltos define a ordem de largada do cross-country. A cada ponto de diferença para os atletas nos saltos, representa quatro segundos de atraso para iniciar a corrida com os esquis, que vira uma prova de perseguição. Vence quem cruzar a linha de chegada primeiro.

Serão disputadas três provas em Pequim-2022. Há a disputa por equipes e as individuais, sendo uma com salto na pista longa e outra na pista normal.



O BRASIL NO COMBINADO NÓRDICO

Não há histórico de atletas brasileiros participando de competições do combinado nórdico.

DESTAQUES

A Noruega é a maior vencedora do combinado nórdico olímpico com 13 ouros e 31 medalhas no total. Em Copa das Nações, o país nórdico subiu no lugar mais alto do pódio 18 vezes. Veja abaixo alguns dos candidatos ao pódio na modalidade em Pequim-2022.

Eric Frenzel (Alemanha)   

Frenzel comemora no topo do pódio em Sochi-2014 - Foto: Matthias Schrader/AP
O atual bicampeão olímpico em pista normal e ouro por equipes em Pyeongchang-2018, é considerado um dos maiores atletas do combinado nórdico de todos os tempos. São seis medalhas olímpicas no total, três ouros, dois bronzes e uma prata. Além disso ela foi pentacampeão mundial entre 2013 e 2017 e pinta como favorito na China. 

Jarl Magnus Riiber (Noruega)  

Magnus Riiber em competição na Áustria - Foto: S. Adelsberger/Expa/PresseSports
O norueguês vem com toda a tradição do país na modalidade e como atual bicampeão do mundo no individual e na disputa por equipes, pintando como desafiante de Frenzel em Pequim. Apesar de não disputar algumas etapas da Copa do Mundo na temporada 2021/22 por dores nas costas, ele venceu seis das sete provas que disputou. 

Akito Watabe (Japão)  

Akito competindo em Pyeongchang-2018 - Foto: Reuters
O japonês foi prata em 2014 e 2018, tentando agora superar Frenzel em Jogos Olímpicos pela primeira vez, recentemente ele foi medalha de bronze em pista longa/10km no Campeonato Mundial, e quinto na pista normal/10km. Em 2009, foi campeão mundial por equipes 


Johannes Rydzek (Alemanha) 

Rydzek liderando trinca alemã no pódio em Pyeongchang-2018 - Foto: Carlos Barria/Reuters
Ouro em 2018 em PyeongChang, na prova de pista longa/10km, o alemão terá bastante trabalho em defender o seu título e vem de um 17º lugar no Campeonato Mundial de 2021, mas seu desempenho no torneio em 2017, quando foi ouro em todas as provas não pode ser esquecido. 

Johannes Lamparter (Áustria)

Johannes Lampartner no Mundial de 2021 - Foto: Nordicfocus
O atual campeão mundial na pista longa/10km e o mais jovem a alcançar o feito, o atleta de 20 anos só passou a fazer parte do circuito da Copa do Mundo em 2018, mas devido o seu desempenho no Mundial de 2021, que ainda contou com um bronze na prova por equipes, ele se tornou candidato ao ouro em Pequim.  

CALENDÁRIO

09/02- Final individual - Pista normal/10km - 4h às 8h 
15/02 - Final individual - Pista longa/10km - 4h às 8h 
17/02 - Final equipes - Pista longa/4x5km – 4h às 8h

*Todas as competições estão no horário de Brasília

Postar um comentário

To Top