Brasileiros do do skeleton e bobsled fazem reconhecimento da pista de Pequim 2022

Brasileiros na pista do Bobsled e Skeleton

Dia de reconhecer o palco do espetáculo. Nesta segunda-feira, 31, Nicole Silveira, representante do Brasil no skeleton, Edson Bindilatti, Edson Martins, Rafael Souza e Jefferson Sabino, integrantes da equipe de bobsled brasileira, visitaram o Centro Nacional de Esportes de Pista em Yanqing pela primeira vez desde a chegada à China. Eles percorreram a pé o percurso que tem cerca de 2km, com 16 curvas com diferentes ângulos e inclinações. Um momento especial para Edson Bindilatti, recordista de participações em Jogos Olímpicos de Inverno, com cinco, escolhido porta-bandeira da delegação, ao lado de Jaqueline Mourão, que conheceu a última pista que vai encarar como atleta.

“A emoção foi o que deu o tom nessa primeira visita. Felicidade muito grande de estar aqui e vontade de representar o Brasil da melhor forma. É um momento mágico chegar numa pista pela primeira vez, um percurso novo, ainda mais nos Jogos Olímpicos”, disse Bindilatti.

A pista não é novidade para Nicole, que esteve no local em outubro para a disputa do evento-teste, em que terminou na 8ª colocação. Ela recordou o momento e contou que a pista foi fundamental na classificação para Pequim 2022.

“Fazia seis meses que eu não descia num trenó e ver a rapidez com que eu aprendi a pista em relação às melhores do mundo, me deu bastante motivação e esperança de estar aqui hoje. Até aquele momento, eu ainda não acreditava. O início de temporada de 2022 me deu bastante confiança na minha própria habilidade e que eu posso estar aqui, não só por estar, mas também para competir”, contou Nicole.

Também participaram do chamado “track walk” os técnicos do bobsled, Bryan Berghorn, e do skeleton, Joseph Cecchini, além do chefe da equipe de gelo, Matheus Figueiredo. O chamado “track walk” é bastante importante, principalmente, no primeiro dia de uma pista nova. Serve para estudar as curvas, o tamanho, os perfis, quanto de gelo tem – pode estar mais fino ou mais grosso, mais endurecido ou mais suave – e qual é a melhor forma de abordagem delas, se tem que entrar mais para esquerda ou para direita. Ou seja, é uma importante ferramenta de estudos.

“Para o piloto do bobsled, o track walk é fundamental. O trenó desce muito rápido e, se a pista não tiver memorizada, você pode ter problemas, desde perder tempo até virar o trenó. Quanto mais a gente anda a pista, a maioria dos pilotos anda todos os dias, melhor para guardar todas as informações. Por ser uma pista nova, a demoramos mais no reconhecimento, damos mais atenção a algumas curvas, tentando entender as linhas, para poder fazer um bom trabalho”, disse Bindilatti.

“No skeleton, geralmente, faço o track walk e, quando desço no treino, dependendo do que acontecer, se tiver uma curva que eu esteja tendo muita dificuldade, posso pegar e ir andando antes do próximo treino e olhar de novo. Mas depende muito de cada atleta, tem atleta que gosta de andar todos os dias, tem outros que não fazem. Eu, geralmente, faço só uma vez, principalmente numa pista que eu já competi. Depois, estudo os meus vídeos descendo e comparo com de outros atletas. Em outubro, eu fiz track walk quase todos os dias porque realmente não conhecia a pista”, comentou Nicole.

A competição de skeleton vai de 10 a 12 de fevereiro. O bobsled, com o trenó de duas pessoas, faz a estreia no dia 14, enquanto o quarteto faz a primeira descida oficial no dia 19. A previsão é que a equipe de bobsled seja a primeira a usar a pista para os treinos para Pequim 2022. No próximo dia 02, eles farão a primeira descida a partir das 8h30, no horário local. Já Nicole descerá a partir das 14h para o primeiro período de treinamento.

“A expectativa para os treinos é enorme. Dá vontade de acabar o track walk e já pegar o trenó. Muito ansioso para descer a primeira vez, sentir de verdade, descendo com o trenó. Eu achei a pista fantástica, gostosa, curvas longas. Tem que ter paciência, atenção nas saídas. Não parece difícil, mas tem que achar os segredos para ganhar a velocidade necessária para ter uma boa colocação”, analisou Bindilatti.

O circuito do Centro Nacional de Esportes de Pista em Yanqing foi o primeiro construído na China para skeleton e bobsled, além de luge. O complexo tem capacidade total para 2.000 torcedores sentados e 8.000 em pé. Depois dos Jogos Olímpicos de Inverno, o local será usado para receber competições internacionais, bem como ser centro de treinamento para a equipe nacional da China.

Foto: Andrea Leibovitch/COB

Postar um comentário

To Top