Ashleigh Barty se torna a primeira australiana campeã do Australian Open no Séc.XXI

De camisa regata e saia branca com detalhes em preto, Ashleigh Barty vibra com as mãos cerradas e a boca aberta

Pela primeira vez no Séc.XXI, uma australiana venceu o torneio de simples feminino do Australian Open. Ashleigh Barty superou um péssimo início de segundo set, quando estava perdendo por 5 a 1 e venceu a norte-americana Danielle Collins por 2 sets a 0, para delírio da torcida presente na Rod Laver Arena neste sábado (29).


Este é o primeiro título australiano desde 1978, contando as duas categorias. A conquista coroa a excelente campanha da tenista número um do mundo, que não perdeu sets na competição e confirmou quase todos os seus serviços, sendo quebrada apenas por Amanda Anisimova (USA) nas oitavas de final e por Collins na final.


O Grand Slam australiano é o seu terceiro na carreira, ela já venceu em Wimbledon (2021) e em Roland Garros (2019). Com o feito, ela se junta a Serena Wiliams no restrito grupo de tenistas que venceram em três pisos diferentes (grama, saibro e piso duro).


Para Collins, o desempenho no Melbourne Park leva ela ao Top-10 do ranking da WTA pela primeir vez na carreira. 

O jogo

As duas começaram confirmando os seus dois primeiros serviços. No quinto game, com saque de Barty, Collins chegou a ter dois break points, mas a australiana salvou e deixou a parcial em 3 a 2. Os break points passaram para a número um do mundo no game seguinte e ela aproveitou, abrindo dois games de vantagem no primeiro set.


A norte-americana demonstrou ter sentido os break points perdidos no começo, mas se recuperou vencendo o oitavo game. No game seguinte, Barty fechou a parcial com um ace e venceu o set por 6 a 3, para delírio do público presente.


Collins começou muito bem o segundo set, quebrando o primeiro serviço de Barty e fazendo 2 a 0 logo de cara. Se no primeiro set, foi a norte-americana quem perdeu break points, agora foi a vez da australiana perder três oportunidades de quebra e ver a número 28 do mundo abrir três games de frente.


Mesmo com o momento melhor para Collins, Barty conseguiu a quebra no sétimo game para deixar a parcial em 5 a 2 para a norte-americana. A quebra fez o momento mudar para a australiana, que diminuiu para 5 a 4, com mais um break.


Ashleigh passou a ser mais agressiva, fez forehands mais velozes (132km/h) em relação ao resto da partida, empatou o set e foi aplaudida de pé pela Rod Laver Arena. Nos games seguintes, as duas confirmaram seus serviços e a parcial foi para o tie-break.


Impulsionada pela sua recuperação e pela torcida, Barty foi impecável no desempate, venceu por 7 a 2 e comemorou o título.


Na premiação, a campeã agradeceu a torcida por tê-lo apoiado até o fim e também agradeceu ao seu staff. Durante todo o discurso, ela demonstrou estar emocionada.


Foto: Loren Elliott/ Reuters

Postar um comentário

To Top