Guia - Mundial de Ginástica Artística 2021 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia - Mundial de Ginástica Artística 2021

Compartilhe

Na próxima segunda-feira (18), tem início o Mundial de Ginástica Artística de 2021. Com o adiamento dos Jogos Olímpicos por causa da pandemia de Covid-19, essa é a primeira vez desde 1996 que um Mundial é realizado no mesmo ano da Olimpíada. O campeonato vai reunir 312 ginastas de 56 países em  Kitakyushu no Japão.

Como aconteceu nos últimos ciclos olímpicos, o primeiro mundial após os Jogos Olímpicos não tem competição por equipes. Por isso, o Brasil terá apenas três representantes no evento. No feminino, a campeã olímpica Rebeca Andrade chega como uma das principais estrelas da competição, com chances de medalhas no individual geral e em todos os aparelhos. No masculino, Arthur Nory vai defender seu título mundial na barra fixa, enquanto Caio Souza deve tentar melhorar seu desempenho no individual geral e no salto sobre a mesa, provas onde foi finalista em Tóquio 2020.

Neste especial, o Surto Olímpico trás as chances de pódio do Brasil, os principais destaques internacionais e a programação completa da competição.


FEMININO

Nem todos os países vão levar força máxima no mundial. Os EUA, por exemplo, vão com uma equipe de atletas calouras em Campeonatos Mundiais. Já alguns países como Rússia e China, vão levar uma mistura de novatas e veteranas. 

Única representante do Brasil, Rebeca Andrade não irá competir no solo, ficando de fora da disputa por medalhas no aparelho e no individual geral. Suas principais chances de medalha devem ser no salto sobre a mesa e nas barras assimétricas.

Rebeca Andrade e seu treinador Franscisco Porath - Foto: Divulgação/CBG
Após algumas desistências, a principal favorita ao ouro no individual geral é a russa Angelina Melnikova, bronze em Tóquio 2020 e no Mundial de 2019. Os EUA venceram o individual geral em todos os mundiais desde 2011. Dessa vez, a equipe não tem alguma ginasta despontando como grande favorita, mas Kayla DiCello e Leanne Wong devem estar na briga pelo pódio. Pela China, a única generalista do país no Mundial será Wei Xiaoyuan que no último mês foi campeã dos Jogos Nacionais do país.

No salto sobre a mesa, Rebeca é favorita para repetir o ouro de Tóquio. Além dela, das atletas que competiram dois saltos em Tóquio, apenas Melnikova também deve tentar a final do aparelho no mundial (ambas com chance de medalha). Das que não estiveram na Olimpíada, as principais candidatas ao pódio são a chinesa Qi Qi, a francesa Coline Devillard e a neerlandesa Elze Geurts.

Rebeca na final do salto nos Jogos Olímpicos de Tóquio - Foto: Ricardo Bufolin/CBG
Nas barras assimétricas, nenhuma das atletas que subiu ao pódio em Tóquio estará no Mundial. As principais candidatas ao ouro devem ser a chinesa Wei Xiaoyuan e a britânica Becky Downie, prata no Mundial de 2019. Rebeca está no grupo de atletas que tem chance de medalha na prova, junto das russas Melnikova e Urazova e das chinesas Li Shijia e Luo Rui

Na trave, Shijia e Rui são as favoritas. Outras candidatas incluem Urazova e a alemã Pauline Schaeffer, campeã mundial em 2017, a japonesa Ashikawa Urara e Konnor McClain dos EUA. Rebeca Andrade tem notas para brigar por medalha, mas não é uma das principais favoritas no aparelho. 

No solo, um dos destaques é a japonesa Murakami Mai. Campeã mundial em 2017 e bronze em Tóquio 2020, a ginasta deve se aposentar após o mundial. Entre suas principais rivais estão Melnikova, Urazova e Wong.

MASCULINO

Entre os homens, o Brasil vai ter dois atletas na competição: Arthur Nory e Caio Souza. Nory deve competir apenas na barra fixa, seu principal aparelho, no qual defende o título do Mundial de 2019. Já Caio deve competir em todos os aparelhos.

Caio Souza e Arthur Nory com os técnicos Marcos Goto e Ricardo Yokoyama - Foto: Divulgação/CBG
No individual geral, Caio não é um dos principais candidatos à medalha. Uma meta para o ginasta é tentar melhorar seu desempenho na final de Tóquio 2020, onde teve algumas quedas e terminou em 17º lugar. A disputa pelo ouro deve ficar entre o japonês Hashimoto Daiki, ouro em Tóquio 2020, e o chinês Zhang Boheng. Outros candidatos ao pódio incluem: Yul Moldauer (USA), Shi Chong (CHN) e Ahmet Onder (TUR).

Arthur Nory competindo na barra fixa em Tóquio-2020 - Foto: Ricardo Bufolin/CBG
Na disputa pelo título da barra fixa, Nory terá dois atletas competindo em casa como seus principais adversários. Uchimura Kohei (que nasceu em Kitakyushu) é um dos maiores ginastas de todos os tempos e deve competir apenas no aparelho, onde foi campeão mundial em 2015. O Japão também vai ter Hashimoto Daiki, atual campeão olímpico.Outro possível medalhista é Brody Malone dos EUA, que ficou em 4º lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

A principal chance de medalha de Caio Souza é no salto sobre a mesa. O ginasta foi finalista nos Jogos Olímpicos e no Mundial de 2018. No Mundial deste ano, vários especialistas de salto estarão na competição, o que deve dificultar para o brasileiro. Entre eles, os coreanos Yang Hak-Seon (ouro em Londres-2012) e Shin Jaehwan (ouro em Tóquio-2020), o romeno Marian Dragulescu (tetracampeão mundial), o japonês Hidenobu Yinekura e o ucraniano Igor Radvilov.

Caio Souza na final do salto sobre a mesa em Tóquio 2020 - Foto: Ricardo Bufolin/CBG
Caio também tem chances de chegar às finais das barras paralelas e das argolas, mesmo não sendo um dos principais favoritos. Nas paralelas, o favoritos incluem o japonês Kaya Kazuma, o ucraniano Petro Pankhiuk e o russo Vladslav Polyashov. Nas argolas, o turco Ibrahim Colak tentará defender o seu título mundial, contra o chinês Lan Xingyu e os italianos Salvatore Maresca e Marco Lodadio. 

No cavalo com alças, os favoritos ao pódio são o irlandês Rhys McClenagham, o japonês Kaya Kazuma e os norte-americanos Stephen Nedorsick e Alec Yoder. Já no solo, olho no chinês Zhang Boheng, no estadunidense Yul Moldauer e no filipino Carlos Yulo, atual campeão mundial. 

O Campeonato Mundial de Ginástica Artística será transmitido no Brasil pelo Sportv. O canal irá passar todas as finais da competição. Já a qualificação não deve ter transmissão internacional.

Programação (horários de Brasília):

17/10 - Qualificação feminina
18/10 - Qualificação feminina (Rebeca Andrade às 23h15)
19/10 - Qualificação masculina (Arthur Nory e Caio Souza pas 21h20)
21/10 - Individual geral feminino - 6h00
22/10 - Individual geral masculino - 6h00
23/10 - Finais por aparelho - 4h10
24/10 - Finais por aparelho - 4h25

Foto de capa: Reprodução/Twitter/CBG

Nenhum comentário:

Postar um comentário