Fernando Rufino é campeão mundial de canoagem e Débora Benevides leva bronze - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias


Fernando Rufino, medalhista de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 está tendo um setembro mágico. Duas semanas depois da glória no Japão, foi a vez do cowboy sagrar-se campeão mundial nas águas da Dinamarca, sendo superior a todos os adversários no VL2 200m masculino.  

A sexta-feira (17) foi de apenas três finais no Mundial de canoagem velocidade que é disputado no Lago Bagsværd, ao norte de Copenhague, e em todas decisões tinham brasileiros. Débora Benevides levou o bronze no VL2 200m e Giovane de Paula ficou no quase, terminando em quarto no VL3 200m.

Rufino provou ser a força dominante no VL2 200m masculino. Ele largou na frente para impor larga vantagem do início ao fim terminando em 53.93, mais de dois segundos a frente do espanhol Higinio Rivero, medalhista de prata com 56.21. O português Norberto Mourão terminou com 56.54 e levou o bronze. Luis Cardoso da Silva terminou em oitavo na final, completando a distância em 57.94.


Logo em seguida foi a vez de Debora Benevides brilhar. Estreando direto na final, ela viu a britânica Emma Wigs, campeã paralímpica e mundial, disparar na frente e vencer com ampla vantagem, ao completar o VL2 feminino 200m em 57.55. Com a desistência das atletas indianas e italianas, apenas quatro barcos participaram e a disputa pelas medalhas restantes foi intensa. A russa Maria Nikiforova ficou com o segundo lugar, ao completar em 1:05.11.

Quando a alemã Katharina Bauernschmidt parecia cruzar a linha de chegada em terceiro, Debora Benevides, se vingou da alemã que ficou imediatamente na frente dela tanto nas eliminatórias, semifinais e final de Tóquio 2020, justamente na hora que importou. Com uma ultrapassagem no último momento, Benevides terminou com 1:06.30, 17 centésimos a frente da alemã. 


Já na última decisão de medalhas desta sexta, Caio Carvalho e Giovane de Paula disputaram a final do VL3 200m. Na primeira sessão do dia, eles tiveram que disputar a semifinal e terminaram em segundo e terceiro na primeira semifinal do VL3 200m masculino e se garantiram na final A, ao lado do líder Markus Swoboda, da Áustria.

Na grande final, Jack Eyers e Stuart Wood dominaram a prova para estabelecer uma dobradinha britânica (50.01 e 50.13), seguidos pelo ucraniano Vladyslav Yepifanov, que levou o bronze com 50.55. 

Distante da ação principal, na raia 1, Giovane de Paula tentou ao máximo, mas terminou em quarto lugar, empatado com o francês Eddie Potdevin, ambos com 51.04 Swoboda ficou em sexto (51.46) e Caio Carvalho terminou em oitavo, com 52.27, ainda atrás do argentino Emilio Atamamnuk, sétimo com 51.67.

Giovane foi medalhista de prata nesta prova nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, atrás apenas de Wood. Eyers e Yepifanov não competiram no Japão. A competição segue até domingo com provas tanto da canoagem convencional quanto da paracanoagem.

Fotos: Miriam Jeske / CPB (Tóquio 2020)

Nenhum comentário:

Postar um comentário