Brasil garante mais três pódios no Mundial Militar de boxe


O Brasil garantiu nesta quarta-feira (22) mais três medalhas no Mundial Militar de boxe, com Leanderson Conceição (49kg), Jucielen Romeu (57kg) e Wanderson de Oliveira, o "Shuga" (64kg), que chegaram nas semifinais de suas respectivas categorias. Luiz Fernando Rodrigues (69kg) e Joel Silva (+91kg) entraram em ação pelas quartas de finais e acabaram eliminados.

Wanderson e Jucielen venceram por nocaute. Shuga, que já havia estreado na competição, derrubou o moçambicano Paolo Jorge Britos no segundo round, enquanto Juci fez sua estreia na competição e derrotou Harshani Paysala, do Sri Lanka, ainda no primeiro round. Leanderson, por sua vez, teve uma parada mais dura contra o uzbeque Abdumalid Mannopov e venceu por decisão dividida.

Já com um lugar no pódio garantido - no boxe, não há disputa de terceiro lugar, ou seja, os eliminados na semifinal faturam o bronze automaticamente, os brasileiros buscam um lugar na final. Pela semi, Wanderson enfrentará o belarrusso Dzmitry Asanau; Jucielen terá a russa Daria Abramova pela frente; e Leanderson vai encarar Sajeewa Mutunaka Pedi, de Sri Lanka.

Outros dois brasileiros foram eliminados no dia, coincidentemente para dois armênios. Vindo de duas vitórias, Luiz Fernando Rodrigues da Silva (69kg) perdeu para Armen Mashakaryan, por decisão dividida, em uma luta muito interrompida pelo árbitro. Já Joel Silva (+91kg) foi superado por David Chaloyan.

Além dos três que chegaram nas semifinais nesta quarta, o Brasil já tem outras duas medalhas garantidas na competição, com a vice-campeã olímpica Beatriz Ferreira (60kg) e Barbara Santos (51kg). A competição é disputada em Moscou, na Rússia, sendo a primeira de grande nível após Tóquio 2020.

Fotos: Reprodução

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024?

Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco.

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Postar um comentário

To Top