Sifan Hassan vence 10.000m e conquista seu segundo ouro em Tóquio


A neerlandesa Sifan Hassan conquistou neste sábado (07) seu segundo ouro na Olimpíada de Tóquio. Depois dos 5.000m, ela triunfou nos 10.000m, marcando 29:55.32. A prata ficou com Kalkidan Gezahegne, e o bronze para Letesenbet Gidey, da Etiópia. Hassan ainda faturou um bronze nos 1.500m em Tóquio.

Essa era uma das provas mais aguardadas do programa do atletismo nesta edição olímpica, muito por conta da rivalidade entre Hassan e Gidey. A neerlandesa é a atual campeã mundial e chegou a bater o recorde mundial da prova este ano, mas a etíope conseguiu superá-lo dois dias depois, emplacando a melhor marca da história na distância.

A prova realmente contou com um protagonismo das duas atletas, juntamente com Gezahegne, mas não foi tão forte quanto o esperado. Hassan, Gidey e Gezahegne começaram a se desgarrar a partir dos 8km, mas mantiveram um ritmo lento. A etíope foi quem puxou o pelotão a maior parte do tempo e foi ultrapassada nos 200m finais.

Hassan venceu com um tempo 54 segundos acima de seu melhor, chegando com 29:55.32. Gezahegne até "sprintou" na reta de chegada para alcançar a neerlandesa, mas acabou em segundo, com 29:56.18. Gidey baixou ainda mais o ritmo e terminou com o bronze, a 30:01.72. Curiosamente, as três medalhistas têm origem etíope, mas apenas Gidey compete pela bandeira do país. 

Hassan nasceu em Adama e se mudou para os Países Baixos quando tinha 15 anos, buscando asilo na nação europeia. Desde então, reside e treina pelo país. Hoje com 28 anos, ela é uma das maiores estrelas do atletismo e buscava conquistar três ouros em Tóquio, mas conseguiu apenas nos 5.000m e nos 10.000m, ficando com o bronze nos 1.500m.

Foto de capa: Hannah Mckay/REUTERS

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024?

Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco.

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Postar um comentário

To Top