Quenianas fazem dobradinha em prova sem brasileiras na maratona feminina - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Quenianas fazem dobradinha em prova sem brasileiras na maratona feminina

Compartilhe

Deu Quênia na disputa da maratona feminina nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. As quenianas Peres Jepchirchir e Brigid Kosgei ficaram com ouro e prata na disputa realizada nesta sexta-feira a noite em Sapporo. O bronze ficou para o Estados Unidos com Molly Seidel em evento sem participação brasileira.


O ouro veio com a marca de 2h27min20s, quase 4 minutos de diferença para o recorde olímpico de Tiki Gelana (ETH) batido em Londres-2012. A recordista mundial Kosgei, favorita ao ouro, terminou com a prata após 2h27min37s, bem longe dos 2:14.04 feitos em Chicago, em 2019.


Quem era cotada a medalha e abandonou a prova foi a também queniana Ruth Chepngetich, atual campeã mundial. Ruth passou em 10º lugar na marca dos 30km, mas não resistiu ao forte calor japonês e abandonou na sequência.


Já Jechirchir dá para dizer que ela liderou a prova de ponta a ponta, sempre na primeira ou segunda colocação. Mesma coisa para Kosgei, em uma belíssima prova de equipe, comum nas maratonas. A norta-americana Seidel era uma das cotadas à surpreender na prova olímpica. Desde os primeiros quilômetros ela aparecia no top-10 da prova e continuou assim na parte final da prova, correndo com muita segurança para a medalha olímpica.


Neste sábado será disputado a prova da maratona masculina às 7h (de Brasília). Diferentemente da prova para mulheres, o Brasil será representado por três atletas: Daniel Chaves, Daniel do Nascimento e Paulo Roberto de Paula. A expectativa é que Eliud Kipchoge (KEN) bata o recorde mundial, mesmo em condições adversas.


Foto em destaque: Feline Lim/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário