João Maria França ergue 144kg e termina em sexto lugar no halterofilismo de Tóquio 2020

João Maria França está deitado e segura a barra com pesos

João Maria França Júnior abriu a participação do halterofilismo brasileiro nas Paralimpíadas de Tóquio nesta quarta-feira (25). Competindo na categoria até 49kg, o potiguar terminou na sexta colocação da final, ao erguer 144kg na disputa realizada no Tokyo International Forum.

Ao todo, nove atletas participaram da prova. Cada um teve três tentativas para erguer a maior quantidade de peso possível. João obteve êxito em suas duas primeiras chances, para 139kg e para 144kg, e decidiu aumentar a pedida para 157kg na derradeira oportunidade, numa tentativa de ir ao pódio. Ele não conseguiu e terminou em 144kg.

O vencedor da prova foi Omar Sami Hamadeh Qarada, da Jordânia, que conseguiu 173kg. Cong le Van, do Vietnã, também ergueu 173kg, mas perdeu nos critérios de desempate, por ter 0,1kg a mais de massa corporal que o adversário. A medalha de bronze ficou com o azeri Parvin Mammadov, com 156kg. Caso João tivesse ido bem em sua última chance, teria ido ao pódio.

Natural de Natal, no Rio Grande do Norte, João participou de sua primeira Paralimpíada. Ele tem 25 anos e detém como principais resultados na carreira o nono lugar no Mundial de Halterofilismo de 2017 e uma décima colocação no Mundial de 2019. O potiguar ainda foi vice-campeão do Campeonato Europeu Aberto em 2018, erguendo 137kg.

O halterofilismo brasileiro conta com outros seis atletas na Paralimpíada de Tóquio. Dois deles competem já nesta quinta-feira (26). Logo menos, às 01h, Lara Lima participa da categoria até 41kg feminina e, às 06h30, será a vez de Bruno Carra no peso até 54kg.

Foto de capa: Alê Cabral/CPB

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024?

Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco.

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Postar um comentário

To Top