Emma McKeon quebra recorde olímpico dos 50m livre no último dia da natação em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Emma McKeon quebra recorde olímpico dos 50m livre no último dia da natação em Tóquio

Compartilhe

E terminou a  natação em piscina em Tóquio 2020. O último dia de competições teve medalha para o Brasil com Bruno Fratus conquistando a medalha de bronze nos 50m livre masculino. Na prova feminina, Emma McKeon levou o ouro com novo recorde olímpico. A australiana sai de Tóquio como a maior medalhista da natação com sete medalhas: 3 ouros e 3 bronzes. A última foi conquistada no revezamento 4x100m medley feminino, onde a atleta fez a parte do nado borboleta da equipe da Austrália. O último dia também teve ouros para os Estados Unidos nos 1500m livre e no 4x100m medley masculino.

50m livre masculino
Recorde mundial - César Cielo (BRA) 20.91 (2009)
Recorde olímpico - César Cielo (BRA) 21.30 (2008)

Fratus comemora a sua medalha olímpica - Foto: Jonne Roriz/COB
1. Caeleb Dressel (USA) 21.07 OR
2. Florent Manaudou (FRA) 21.55
3. Bruno Fratus (BRA) 21.57

Caeleb Dressel venceu os 50m livre com novo recorde olímpico - 21.07. O norte-americano confirmou o favoritismo e terminou na frente com quase meio segundo de vantagem. A disputa pela prata ficou entre Florent Manaudou e Bruno Fratus, com o francês ficando à frente por apenas dois centésimos. 

50m livre feminino
Recorde mundial - Sarah Sjoström (SWE) 23.67 (2017)
Recorde olímpico - Emma McKeon (AUS) 24.00 (2021)

1. Emma McKeon (AUS) 23.81 OR
2. Sarah Sjoström (SWE) 24.07
3. Pernille Blume (DEN) 24.21

Emma McKeon quebrou mais uma vez o recorde olímpico dos 50m livre feminino. A australiana venceu a prova com 23.81, tornando-se na primeira atleta a nadar abaixo de 24 segundos em Jogos Olímpicos. Sarah Sjoström é a dona do recorde mundial, mas teve que se superar este ano após uma lesão no cotovelo. A atleta ainda não tinha conseguido subir ao pódio em Tóquio, mas levou a prata na sua última prova individual. Pernille Blume da Dinamarca foi campeã da prova na Rio 2016 ficou com o bronze. 

1500m livre masculino
Recorde mundial - Sun Yang (CHN) 14:31.02 (2012)
Recorde olímpico -  Sun Yang (CHN) 14:31.02 (2012)

Finke na final dos 1500m livre - Foto: Marko Djurica/Reuters
1. Robert Finke (USA) 14:39.65
2. Mykhailo Romanchuk (UKR) 14:40.66
3. Florian Wellbrock (GER) 14:40.91 

Robert Finke conquistou a medalha de ouro nos 1500m livre masculino, alcançando a primeira posição nos últimos 50m. O italiano Gregorio Paltrinieri começou puxando forte, mas na altura dos 300m, Florian Wellbrock assumiu a liderança e se manteve num bloco na frente com Finke e Romanchuk. Na última piscina, Finke fez uma parcial dois segundos mais rápida do que o alemão para ultrapassá-lo no fim.

4x100m medley feminino
Recorde mundial - Estados Unidos 3:50.40 (2019)
Recorde olímpico - Estados Unidos 3:52.05 (2012)

Equipe da Austrália no 4x100m medley feminino - Foto: Carl Recine/Reuters
1. Austrália 3:51.60 OR
2. Estados Unidos 3:51.73
3. Canadá 3:52.60

A Austrália venceu o revezamento 4x100m medley feminino. A prova começou com o Canadá na liderança, graças à parcial de 57.90 de Kylie Masse no nado costa. Na sequência, os Estados Unidos assumiram a liderança com Lydia Jacoby no peito e Torri Huske no borboleta. Mas no crawl, Cate Campbell tirou a diferença e bateu em primeiro na parede, conquistando o nono ouro da Austrália na natação em Tóquio.

4x100m medley masculino
Recorde mundial - Estados Unidos 3:27.28 (2009)
Recorde olímpico - Estados Unidos 3:27.95 (2008)

1. Estados Unidos 3:26.78 WR
2. Grã-Bretanha 3:27.51 
3. Itália 3:29.17

Os Estados Unidos ficaram com a última medalha de ouro na piscina do Centro Aquático de Tóquio. A equipe norte-americana saiu bem com Ryan Murphy terminando na frente a parcial do nado costas. No nado peito, a Grã-Bretanha subiu para a liderança com Adam Peaty no nado peito. Os Estados Unidos retomaram a liderança com o Caeleb Dressel passando para 49.03 no borboleta, abrindo uma boa vantagem para Zach Appel fechar na frente. A prata ficou com a Grã-Bretanha, com direito à recorde europeu, e a Itália levou o bronze.

Foto de capa: Carl Recine/Reuters 

Nenhum comentário:

Postar um comentário