Brasil mostra força, vence o Japão e está na semifinal do vôlei masculino - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil mostra força, vence o Japão e está na semifinal do vôlei masculino

Compartilhe

O Brasil segue na briga pelo quarto título olímpico no voleibol masculino. Em boa atuação, o time brasileiro venceu o Japão por 3 sets a 0 (25-20, 25-22 e 25-20) nas quartas-de-final dos Jogos de Tóquio. Agora, a Seleção enfrenta o Comitê Olímpico Russo pelas semifinais na madrugada de quinta-feira (05), em horário ainda a definir.

O grande destaque do Brasil no jogo foi a atuação coletiva. Enfrentando uma seleção conhecida pelo forte sistema defensivo, o time comandado por Renan Dal Zotto precisou ter paciência na virada de bola e consistência no saque. Os dois fundamentos funcionaram, e a vitória foi construída com autoridade.

Individualmente, Leal foi o maior pontuador da seleção brasileira, com 16 acertos. Lucarelli também brilhou, com grande performance no saque e no ataque, somando 12 pontos. Wallace foi outro a se destacar e marcou 13. Do lado japonês, o ponteiro Ishikawa anotou 17 pontos e liderou as estatística da partida, enquanto o oposto Nishida terminou com 13.

Mais cedo, o Comitê Olímpico Russo bateu o Canadá por 3 sets a 0 (25-21, 30-28 e 25-22) e se habilitou para enfrentar o Brasil nas semifinais. O outro duelo será definido pelos vencedores dos confrontos entre Itália x Argentina e Polônia x França, que se enfrentam às 05h e às 09h30 desta terça-feira, respectivamente.

Times iniciais


Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Leal e Thales (L). Técnico: Renan Dal Zotto. Entraram: Maurício Borges, Cachopa, Alan, Isac

Japão: Masahiro Sekita, Yuji Nishida, Taishi Onodera, Akihiro Yamauchi, Yuki Ishikawa, Ran Takahashi e Tomohiro Yamamoto (L). Técnico: Yuichi Nakagaichi. Entraram: Haku Ri, Kunihiro Shimizu, Kenta Takanashi


O jogo

O primeiro set começou de forma estranha, com um erro de posicionamento da equipe japonesa ao receber o saque de Lucarelli. A seleção brasileira começou mais ligada, abrindo 3 a 0 com ataques efetivos de Leal. Aos poucos, os donos da casa entraram na partida e encostaram em 6 a 5, com bloqueio de Ishikawa sobre Lucarelli.

O Brasil recuperou o controle do jogo e abriu 8 a 5, mas os japoneses responderam com ace de Nishida e voltaram a chegar perto: 10 a 9. O time brasileiro tentava disparar, mas os nipônicos se mantiveram perto graças ao volume de jogo eficiente, típico da escola asiática. Até que, em contra-ataque espetacular definido por Lucarelli, o placar aumentou para 17 a 13.

A partida seguiu amarrada, mas o Brasil soube administrar a pressão japonesa no saque. Em bloqueio de Lucão sobre Onodera, o time chegou ao set point. Depois, em rally espetacular, o ataque de Ishikawa foi para fora e a Seleção fechou o jogo em 25 a 20.

Wallace foi o nome do Brasil no primeiro set, com 6 pontos (Foto: Reprodução/FIVB)

Um ace de Yuji Nishida abriu o segundo set. Melhores que na parcial anterior, os japoneses abriram 4 a 2 em largadinha de Ishikawa, e ampliaram para 9 a 5 em contra-ataque definido por Nishida. A seleção brasileira esboçou uma reação e encostou em 9 a 7, mas os mandantes mantiveram a intensidade na defesa e chegaram a 11 a 7.

Com dificuldade para chegar no placar, Renan acionou o levantador Fernando Cachopa no lugar de Bruninho. E deu certo em um primeiro momento: Thales fez bela defesa, e Lucarelli colocou a bola no chão, encostando em 15 a 14. Nishida voltou a assumir a responsabilidade e retomou a vantagem para 3 pontos - 17-14 - mas o Brasil reagiu novamente e empatou em 17 a 17, com belo ataque de Leal após defesa de Lucarelli.

A recuperação ficaria completa com um bloqueio de Wallace sobre Ishikawa, colocando o Brasil na liderança pela primeira vez no set em 18-17. No lance seguinte, Nishida desperdiçou o contra-ataque e ajudou a seleção brasileira. Tudo isso graças a uma grande passagem de Lucarelli pelo saque, que quebrou a recepção dos rivais. A partir daí, foi só administrar a vantagem e fechar o set em ataque de Wallace: 25 a 22.

Defesa japonesa deu trabalho para o Brasil no segundo set (Foto: Reprodução/FIVB)

Disposto a liquidar a fatura logo no terceiro set, o time brasileiro abriu 4 a 2 na parcial. Com todos os atacantes virando e o bloqueio anulando os adversários, o Brasil chegou ao placar de 14 a 8. Sem conseguir reagir, os japoneses foram cometendo erros e ajudando a Seleção a abrir ainda mais vantagem.

Uma boa passagem pelo saque de Ishikawa ainda ameaçou o domínio da seleção, colocando os japoneses apenas três pontos atrás no placar em 22 a 19. Maurício Borges entrou no fundo de quadra para segurar a recepção e ajudou a seleção a desafogar: 23 a 19. Seu xará, Maurício Souza, foi quem fechou a parcial em 25 a 20.

Foto de capa: Reuters/Carlos Garcia Rawlins

Nenhum comentário:

Postar um comentário