Alemãs quebram recorde mundial e encerram domínio britânico na prova feminina de ciclismo perseguição - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Alemãs quebram recorde mundial e encerram domínio britânico na prova feminina de ciclismo perseguição

Compartilhe

Dia histórico para o ciclismo da Alemanha. Nesta terça-feira (3), a equipe alemã de ciclismo da prova de perseguição feminina faturou sua primeira medalha de ouro nesta categoria, com direito a quebra de recorde mundial e ao fim do domínio das ciclistas britânicas, que buscavam o tricampeonato olímpico em Tóquio 2020.

A Alemanha, que contou com Franziska Brausse, Lisa Brennauer, Lisa Klein e Mieke Kroeger, dominou de ponta a ponta a final contra a Grã-Bretanha, liderando todas as voltas. No fim, o recorde mundial, que já havia sido batido mais cedo pelas alemãs, foi simplesmente ‘pulverizado’. Elas marcaram na final no tempo de 4:04.242, passando em quase dois segundos a marca anterior.

A medalha de bronze foi conquistada pelos Estados Unidos, que havia ficado com a prata nas duas últimas edições dos Jogos. As estadunidenses bateram as canadenses na batalha pelo terceiro lugar no pódio, fazendo o tempo de 4:08.040, terminando a prova com quase 2,5 segundos de vantagem.

Equipe dos Países Baixos derruba Grã-Bretanha e fica com ouro na prova de velocidade masculina

Foto: Kacper Pempel/Reuters
E não foi só no ciclismo perseguição feminino que a Grã-Bretanha perdeu sua hegemonia. Na prova de velocidade masculina por equipes, os britânicos buscavam o tetracampeonato olímpico, mas viram os neerlandeses conquistarem o ouro, com direito a quebra de recorde olímpico.

Roy van den Berg, Harrie Lavreysen e Jeffrey Hoogland foram os responsáveis pela marca de 41.369 feita pelo time dos Países Baixos na final contra a Grã-Bretanha. Os britânicos chegaram a sair na frente, mas não conseguiram mais alcançar os neerlandeses, que venceram com sobras.

O bronze foi conquistado pelo time francês, que bateu a equipe da Austrália na decisão pela medalha, com o tempo de 42.331.

Foto: Matthew Childs/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário