Nadador estadunidense recusa ser vacinado contra Covid-19 antes de embarcar para Jogos de Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Nadador estadunidense recusa ser vacinado contra Covid-19 antes de embarcar para Jogos de Tóquio

Compartilhe

O nadador estadunidense Michael Andrew revelou que recusou ser vacinado contra a covid-19 e vai viajar para os jogos de Tóquio sem estar imunizado. Andrew, que disputará 3 provas olímpicas- 50m livre, 100m peito e 200m medley, revelou que recusou a vacina contra a covid-19 por não saber como seu corpo reagirá a vacina:


" Eu não tomei nenhuma dose. Minha razão por trás disso é que eu não queria inserir no meu corpo algo que eu não sei como vai reagir . Para um atleta de elite, tudo é muito calculado e entendi que, dentro do meu ciclo de treinamento para a seletiva olímpica, eu não podia arriscar ficar alguns dias fora da piscina. Podia ser que, se tomasse a vacina, eu precisasse ficar alguns dias afastado "  disse o nadador de 22 anos em uma entrevista coletiva remota na quinta (8) .


Andrew está junto com a seleção de natação dos Estados Unidos no período de aclimatação em Honolulu no Havaí, antes da equipe viajar para Tóquio para a disputa dos jogos. considerado favorito ao pódio nos 200m medley, Andrew teve sua recusa pela vacina tratada com tranquilidade pelo técnico da seleção masculina Dave Durven: 


"Todos os nossos atletas, na comunidade em que estamos agora, estamos sendo muito conscientes, estando muito seguros com como estamos lidando com nossas equipes, como vamos de um lugar para outro, como estamos operando em nosso ambiente de campo de treinamento, como estamos efetivamente nos borbulhando. E essa é provavelmente a parte mais importante disso. Independentemente de vacinarmos ou não vacinarmos."


Andrew também revelou que mesmo depois dos Jogos de T´quio não pretende se imunizar contra a covid-19: "Todos nós aqui passamos por protocolos muito rígidos, com muitos testes, máscaras, distanciamento social, evitando aglomerações... Indo para Tóquio, será a mesma coisa, com testes todos os dias. Portanto, nos sentimos muito seguros e protegidos, sabendo que estamos minimizando os riscos ao máximo. Mas, pessoalmente, ainda não tomei a vacina e não planejo fazê-la em um futuro distante"


Um porta-voz do USA Swimming disse ao jornal 'The Washington Post' que a organização não pode exigir que seus atletas sejam vacinados, porque o comitê organizador dos jogos e o COI não obriga que o atleta dispute os jogos vacinados. Mas atletas e treinadores não vacinados - Peter Andrew, pai de Michael é um assistente da equipe de natação e também não se vacinou -  estarão sujeito a protocolos mais rigorosos de saúde e segurança durante os treinamentos no Havaí e a Olimpíada de Tóquio.


A declaração de Andrew foi feita no mesmo dia que o comitê organizador do Jogos e COI anunciaram que a olimpíada será disputada sem público, por conta da cidade de Tóquio ter entrado em estado de emergência por conta do aumento de casos de covid-19. 

foto: Jeff Roberson/AP

Nenhum comentário:

Postar um comentário