Halterofilista conquista primeiro ouro da história do Catar, mas se esquiva de pergunta sobre mudança de nacionalidade - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Halterofilista conquista primeiro ouro da história do Catar, mas se esquiva de pergunta sobre mudança de nacionalidade

Compartilhe
Fares Ibrahim Elbakh nasceu o Egito e tem cidadania catari.

*DIRETO DE TÓQUIO*

Depois das Filipinas terem finalmente rompido seu jejum com um ouro olímpico inédito, este sábado (31) foi a vez do Catar finalmente apresentar à família olímpica seu hino nacional. A bandeira do pequeno emirado subiu ao lugar mais alto no Fórum Internacional de Tóquio, cortesia do ouro incontestável de Fares Ibrahim Elbakh nos 96kg do levantamento de pesos.

Após uma disputa parelha no arranco, em que o canadense Boady Robert Santavy marcou 178kg, seguido por Fares Ibrahim Elbakh, Keydomar Vallenilla e Anton Pliesnoi com 177kg e Chen Po-Jen (TPE) com 176kg, o catari mostrou estar em outro nível dos rivais no arremesso: ele retornou à competição quando seus adversários já haviam levantado seus três pesos.

Ao obter sucesso na primeira vez em levantar tranquilamente 217kg, ele assumiu a ponta e garantiu o primeiro ouro olímpico. Novo levantamento bem sucedido para 225kg e marcar o recorde olímpico. Ao final, tentou 232kg que seria recorde mundial no arremesso, mas não teve sucesso. Tudo bem: história já estava feita.

Ao Surto Olímpico ele reconheceu que sua tática foi arriscada, afinal seria ouro ou nada. Porém, ele ressaltou que tem trabalhado bastante no arremesso e estava confiante. "Queria ter feito o recorde mundial, mas o tempo ficou muito curto. Vamos deixar para os próximos".

Ele espera ser um herói nacional para o país e contribuir para o desenvolvimento no esporte. Ibrahim nasceu no Egito, filho de Ibrahim Hassouna, que representou o país africano em 1984, 1988 e 1992. Apesar do seu bom inglês, ele se esquivou em perguntas sobre a mudança de nacionalidade, mas com um sorriso no rosto disse não ficar incomodado com esse tipo de questão.

Ele não revelou a idade quando mudou de país, mas aproveitou para reconhecer que seu sucesso acontece em grande parte devido a uma enorme base de treinamento do país, que se prepara para receber em 2022 a Copa do Mundo da base de treinamento para seus atletas, seja enviando para campings e competições no exterior, seja criando condições excepcionais em vários países".

Primeiro ouro de Catar fala com a imprensa mas não responde perguntas sobre mudança de nacionalidade

Foto: Edgard Garrido / Reuters 

Nenhum comentário:

Postar um comentário