Brasil começa bem, mas cai de rendimento e é derrotado pela Espanha no handebol masculino - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil começa bem, mas cai de rendimento e é derrotado pela Espanha no handebol masculino

Compartilhe


O Brasil perdeu seu terceiro jogo no torneio olímpico handebol masculino em Tóquio-2020. Nesta quarta-feira (28), no Yoyogi National Stadium, a seleção brasileira foi derrotada pela Espanha por 32 a 25 e se complicou na chave, praticamente eliminando as chances de se classificar para o mata-mata da competição.


O roteiro desta partida foi praticamente o mesmo da estreia, quando a equipe perdeu para a Noruega. O Brasil começou muito bem e chegou a abrir quatro gols de vantagem na metade do primeiro tempo, mas perdeu ritmo já no final da primeira etapa e sofreu um apagão na segunda etapa, sofrendo larga derrota mais uma vez.


O principal destaque da equipe brasileira foi João Pedro Silva, que marcou seis gols. Haniel e Chiuffa anotaram quatro tentos cada. Pelo lado espanhol, Enterrios e Figueira marcaram quatro gols. O goleiro do time europeu, Perez de Vargas, foi o principal destaque do jogo, defendendo 13 bolas, numa eficácia de 35%. O arqueiro ainda fez dois gols. 


Com três derrotas em três jogos, o Brasil é o penúltimo colocado do grupo A, a frente apenas da Argentina no saldo de gols. As duas equipes se enfrentam justamente na próxima rodada, nesta quinta-feira (29), às 21h, no horário de Brasília. Das seis equipes de cada chave, as quatro primeiras avançam às quartas de final. O Brasil fechará sua participação contra a Alemanha, que tem apenas uma vitória.


O jogo

O Brasil começou a partida muito bem e largou em vantagem. Mesmo a Espanha empatando, a equipe verde e amarela conseguia ter sucesso em seus ataques e se mantinha a frente. Passado os cinco primeiros minutos, a vantagem brasileira ainda era mínima, em 4 a 3, e passou a aumentar justamente quando a equipe ficou com um homem a menos por dois minutos.


Haniel anotou o quinto gol brasileiro e, depois de um turnover espanhol, João marcou seu terceiro tento e o sexto do Brasil na partida. A Espanha seguia mal e Ferrugem fazia boas defesas. Quando a seleção brasileira conseguiu o sétimo gol, o técnico espanhol parou o jogo e pediu tempo. Após a parada, a equipe europeia anotou um gol após muito tempo, mas o ímpeto brasileiro não foi anulado.

Rogerião marcou o oitavo gol brasileiro, colocando 8 a 4 de frente para a equipe. A Espanha se acertou e seu ataque começou a funcionar. O  goleiro Pérez de Vargas também cresceu no jogo e começou a fazer boas defesas. A vantagem brasileira caiu para dois gols em 9 a 7, mas a equipe conseguiu se manter firme e se segurou até mesmo de uma nova exclusão de dois minutos para seguir com margem.


Se Pérez teve seu momento de luxo, Ferrugem passou a responder à altura. O goleiro brasileiro cresceu e aumentou seu aproveitamento, impedindo que a Espanha encostasse ainda mais no placar. No entanto, o time brasileiro começou a cometer muitos erros defensivos e Ferrugem não foi capaz de parar o ímpeto dos espanhóis, que acabaram empatando o jogo em 13-13.


O técnico brasileiro Marcus Tatá pediu tempo e acertou a sua equipe por alguns instantes. O Brasil manteve frente no placar, mas sempre com a Espanha na cola, até a reta final da primeira etapa, quando a equipe europeia passou a frente pela primeira vez na partida, em 17-16. O Brasil se afobou e os espanhóis ainda anotaram o 18º tento antes do término da primeira metade, finalizada em 18-16.


Diferente do primeiro tempo, o Brasil não começou tão bem na segunda etapa e viu a Espanha marcar dois gols seguidos. Não bastasse as falhas na defesa, o goleiro espanhol voltou a crescer e impediu um acerto brasileiro. Passados os cinco primeiros minutos agitados, a partida ficou morna e a Espanha passou a manter a vantagem de três de frente.


O Brasil ficou mais de nove minutos sem marcar um único gol, mas, por sorte, a Espanha também marou de marcar e a diferença no placar chegou a, no máximo, quatro pontos, em 26-22. Petrius desafogou a equipe azul e amarela ao marcar dois gols de contra-ataque, diminuindo para 26-24, mas uma reação não aconteceu. Os espanhóis fizeram seis gols seguidos e fecharam a partida em 32-25.


Fotos: Gonzalo Fuentes/REUTERS


Nenhum comentário:

Postar um comentário