Após grande primeiro tempo, Yaras perdem fôlego e estreiam com derrota no rugby sevens de Tóquio 2020 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Após grande primeiro tempo, Yaras perdem fôlego e estreiam com derrota no rugby sevens de Tóquio 2020

Compartilhe

O Brasil Yaras, seleção feminina de rugby sevens, estreou na noite desta quarta-feira (28) com derrota nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Após um início disputado, a equipe brasileira acabou sentindo o desgaste físico e perdeu por 33 a 0 para o Canadá, terceiro colocado no ranking mundial e bronze no Rio 2016.

Nona colocada na Rio 2016, a seleção brasileira tem uma dura tarefa para superar o desempenho de quatro anos atrás e chegar às quartas de finais. 

As Yaras voltam a campo ainda neste dia olímpico, às 5h da manhã (horário de Brasília) desta quinta-feira (29) contra a França, quarta colocada no ranking mundial

O Brasil encerra sua participação na primeira fase às 21h desta quinta contra a seleção de Fiji que, no masculino, conquistou o bicampeonato olímpico da modalidade.

O jogo

O primeiro tempo começou bem estudado entre as duas equipes e o Brasil impôs resistência, mesmo com uma jogadora a menos após o cartão amarelo (punição de dez minutos fora do jogo) de Bruna Silva ao puxar o cabelo de Charity Williams na tentativa de interromper o contra-ataque canadense.

O confronto se manteve equilibrado nos primeiros minutos. No entanto, próximo ao final da primeira etapa, a própria Williams marcou o try e colocou o Canadá em vantagem. Com o ponto extra convertido, a seleção canadense foi para o intervalo à frente do marcador, com 7 a 0.

Atropelo canadense

No retorno do intervalo, o Canadá ampliou o marcador para 14 a 0, após um try convertido por Wardley em jogada originada a partir de um erro defensivo brasileiro.

Em uma nova falha, desta vez na construção do ataque, o Brasil perdeu a bola e após uma excelente jogada individual de Paquin, o Canadá abriu três posses de bola de vantagem, chegando a 21 a 0.



As Yaras continuaram lutando, mas a superioridade técnica e o condicionamento físico fizeram a diferença no final do confronto. Com dois novos tries, as canadenses chegaram a 33 a 0, dando números finais a partida.


Foto: Siphiwe Sibeko/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário