GUIA: Pan-Americano de Ginástica Rítmica e de Trampolim - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias


Nesta semana, o Campeonato Pan-Americano de Ginástica continua com a realização da ginástica rítmica e da ginástica de trampolim, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro. Assim como foi na ginástica artística, a competição também irá distribuir vagas olímpicas nas modalidades, com chances do Time Brasil classificar mais atletas para Tóquio 2020. 

O Pan irá dar vagas às campeãs no conjunto e no individual geral da ginástica rítmica e pode classificar também o vencedor do trampolim individual masculino. Confira, abaixo, quem serão os representantes do Brasil na competição e seus principais rivais rumo à Tóquio 2020.

GINÁSTICA RÍTMICA - INDIVIDUAL

Com a ausência das canadenses e com os Estados Unidos já tendo atingido o limite de duas atletas por país, as brasileiras são favoritas para levar a vaga olímpica. Pelas regras da Federação Internacional de Ginástica (FIG), apenas ginastas que participaram do Mundial de Ginástica Rítmica de 2019 são elegíveis para a classificação através dos campeonatos continentais. Por isso, o Brasil pode conquistar a vaga apenas com Natália Gáudio ou com Bárbara Domingos, a Babi.

Natália Gáudio foi a representante do Brasil na Rio 2016, terminando na 23ª posição. Natália já foi campeã continental em 2016 e conquistou a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019. 

Natália Gáudio no Pan de Lima, em 2019 - Foto: Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG
Bárbara Domingos foi campeã sul-americana em 2018 e em 2019 ficou em 31º lugar no Campeonato Mundial, o melhor resultado de uma brasileira em 44 anos. As duas ginastas devem ter uma disputa interessante para ver quem termina na frente na luta pela vaga olímpica. 

Bárbara Domingos no Pan de Lima, em 2019 - Foto: Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG
As principais rivais de Natália e Babi devem ser as ginastas do México. Rut Castillo terminou à frente das brasileiras no Mundial de 2018. Já Karla Diaz tem duas medalhas em Jogos Pan-Americanos. Também estão elegíveis à vaga olímpica outras seis ginastas de Bolívia, Colômbia e Porto Rico, mas estas tem menos chances de classificação.

As outras brasileiras na competição individual serão Ana Luísa Neiva e Andressa Jardim. Ana Luísa tem apenas 17 anos e estreou na categoria adulta este ano. A ginasta foi campeã brasileira juvenil em 2019. Andressa é bicampeã brasileira e foi campeã sul-americana em 2014 por equipes e na bola.

GINÁSTICA RÍTMICA - CONJUNTO

O conjunto brasileiro no Pan de Lima, em 2019 - Foto:Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG
A disputa do conjunto deverá ser forte entre Brasil, México e Estados Unidos. As brasileiras chegaram a dominar o cenário nas Américas a partir do final da década de 1990. Em Jogos Pan-Americanos, o Brasil foi pentacampeão seguido no conjunto. Mas no último ciclo olímpico, as duas equipes da América do Norte encostaram e passaram o Brasil. 

No Pan de Lima, o México levou o ouro, enquanto os Estados Unidos ficaram na frente entre os três países no Mundial de 2019. Nas duas competições, o Brasil foi melhor na prova das cinco bolas no mundial e levou o ouro na prova mista (três aros e dois pares de maças) nos Jogos Pan-Americanos. Esses resultados mostram o equilíbrio na disputa entre os três países. 

Este ano, o conjunto brasileiro competiu na Copa do Mundo de Baku, no Azerbaijão, terminando em sétimo lugar. A equipe dos Estados Unidos participou do evento ficando em décimo quarto.

Compõem o conjunto brasileiro no Pan: Bárbara Galvão, Beatriz Linhares, Déborah Medrado, Eduarda Araraki, Gabrielle Moraes e Geovana Santos.

Também irão participar do Pan-Americano os conjuntos de Argentina e Guatemala. Os dois países não são elegíveis à vaga olímpica porque não participaram da prova no Mundial de 2018.

GINÁSTICA DE TRAMPOLIM - MASCULINO

Rafael Andrade e Rayan Castro - Fotos: Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG
As regras de classificação olímpica da Federação Internacional de Ginástica (FIG) dizem que apenas os continentes que não conseguirem vaga pelo Mundial de 2019 ou pelo ranking das Copas do Mundo terão seus campeonatos valendo vaga para Tóquio. Como o Canadá conseguiu uma vaga no feminino pelo Mundial, a princípio o Pan dá uma vaga ao seu campeão apenas no masculino. Porém, a FIG ainda não confirmou as vagas via Copa do Mundo e por isso a cota continental não é garantida.

Com a ausência do Canadá, a disputa pelo título deve ficar entre Estados Unidos e Brasil. A equipe brasileira vai ser liderada pelo experiente Rafael Andrade, que competiu na Rio 2016. O Brasil também conta com Rayan Castro, finalista do Pan de Lima e que foi o terceiro melhor atleta das Américas no último Mundial, ficando a menos de dois pontos do primeiro que foi Aliaksei Shostak, dos Estados Unidos. Completando o time, temos Vinícius Celestino e Cauã Rodrigues.

A equipe estadunidense conta com Shostak além de Jeffrey Gluckstein e Ruben Padilla, prata e bronze respectivamente no Pan de Lima. Cody Gesuelli completa o quarteto norte-ameticano. Também irão competir outros 13 ginastas de Argentina, Colômbia, México e República Dominicana.

GINÁSTICA DE TRAMPOLIM - FEMININO


Camila Gomes e Alice Gomes - Foto: Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG
A competição feminina no trampolim não vale vaga olímpica. Sem a presença das canadenses e das principais representantes dos Estados Unidos, o Brasil é favorito a levar o ouro no individual e no sincronizado. Camilla Gomes é a principal brasileira na competição. Sua principal adversária deve ser Alice Gomes, sua parceira no sincronizado. A prova não é olímpica, mas as brasileiras estão entre as melhores duplas do mundo e ficaram em quarto lugar no Mundial de 2019. O Brasil também vai ter Luara Rezende e Ingrid Maior na competição. Outras sete ginastas de Estados Unidos, México e Argentina estão inscritas na competição.

ONDE ASSISTIR O PAN-AMERICANO DE GINÁSTICA?


O campeonato vai ser transmitido na íntegra pelo Canal Olímpico do Brasil. A ação na Arena Carioca 1 começa nesta sexta (11) com a qualificação do trampolim a partir das 9h40 e da ginástica rítmica após às 14h30. Os canais SporTV transmitem as disputas da Ginástica de Trampolim.

Fotos: Ricardo Bufolin/Panamerica Press/CBG

Nenhum comentário:

Postar um comentário