Darlan Romani estreia bem na temporada 2021 no Troféu Brasil de atletismo - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Darlan Romani estreia bem na temporada 2021 no Troféu Brasil de atletismo

Compartilhe

Um dos grandes nomes do atletismo brasileiro na atualidade, Darlan Romani estreou neste sábado (12) no Troféu Brasil, que está sendo disputado em São Paulo,  com a melhor marca da qualificação do arremesso de peso.

A qualificação marcou a estreia de Darlan Romani na temporada 2021. Grande nome do atletismo, eleito duas vezes – 2018 e 2019 - o melhor atleta da modalidade pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) começou na prática sua caminhada rumo a Olimpíada de Tóquio.

Já qualificado para os Jogos, o catarinense, de 30 anos, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, campeão militar e quarto colocado no Mundial de Doha-2019, Darlan voltou às competições, interrompida em dezembro de 2020 no Troféu Brasil, quando ganhou o nono título consecutivo na competição. “Me senti bem. Agora vou me concentrar para a final”, disse Darlan, referindo-se a prova deste domingo (13), que marcou 19,68 m em sua única tentativa neste sábado. “Prometo dar meus 200% na final”, completou o atleta, que teve problemas de lesão no início da temporada.

Outro problema está sendo a ausência do treinador cubano Justo Navarro, que o acompanha há mais de 10 anos. Ele viajou para Cuba no final do ano para visitar os familiares e não consegue voltar por causa da pandemia. “O olhar do treinador é fundamental para corrigir detalhes técnicos nos movimentos do arremesso. Seguimos a planilha dele e tentamos nos ajudar”, afirmou, referindo-se a Geisa Arcanjo, também atleta do arremesso do peso e treinada por Navarro.

A equipe da Orcampi-SP, formada por Vitor Hugo de Miranda, Leticia Cristina Soares da Silva, Tiffani Marinho e Wagner Cardoso, conquistou a primeira medalha de ouro na especialidade, com 3:24.14. “Foi uma estreia perfeita”, comentou Tiffani, tricampeã dos 400 m no Troféu Brasil e titular da equipe que subiu ao pódio na Polônia. “Estamos nos acostumando às competições mistas. Já corremos em Doha e nos Mundiais de Revezamentos de Yokohama, em 2019, e da Silésia, em 2021.”

O CT Maranhão, com Marcos Vinicius Silva Moraes, Leticia Maria Nonato Lima, Joelma das Neves Sousa e João Henrique Falcão Cabral, ficou em segundo lugar, seguido da equipe do Pinheiros-SP, com Leandro Alves Prates, Mayara dos Santos Leite, Daysiellen Atla Dias e Eduardo Ribeiro Moreira, com 3:24.26.

O Pinheiros, formado por Lucas Marcelino dos Santos, Jorge Henrique Vides, Derick de Souza e Paulo André de Oliveira, foi o campeão do 4x100 m, com 39s41. No feminino, o CT Maranhão, com Bruna Farias, Ana Carolina Azevedo, Franciela Krasucki e Gabriela Mourão, ficou com o ouro, com 44.28.

No lançamento do dardo, Luiz Maurício Dias da Silva (UFJF-MG)levou o ouro, com 75,30m. Pedro Henrique Nunes (Endurance Sports-AM) ficou com a prata, com 72,44m, seguido de Clewerton Ruan de Souza Siqueira (Corville-SC), com 69,23m. “Melhorei minha marca do ano e estou feliz”, disse o mineiro de 21 anos.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário