Com Simone Biles, EUA define equipe de ginástica artística feminina em Tóquio 2020 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Com Simone Biles, EUA define equipe de ginástica artística feminina em Tóquio 2020

Compartilhe

Simone Biles confirmou o favoritismo e, apesar de uma noite complicada nas barras assimétricas e na trave, venceu a seletiva olímpica de ginástica artística dos Estados Unidos. Ela é a única veterana do grupo, que também conta com Sunisa Lee, Jordan Chiles, Grace McCallum, Jade Carey e MyKayla Skinner. 

Os Estados Unidos conseguiu seis vagas na ginástica artística feminina em Tóquio 2020: quatro para ginastas que vão participar da competição por equipes e duas individuais. Uma das vagas individuais era garantida para Jade Carey, que venceu o circuito das Copas do Mundo de especialistas no salto (vale lembrar que Carey poderá competir em todos os aparelhos na Olimpíada).


Para as quatro vagas da equipe, as duas primeiras colocadas no individual geral garantiam a ida à Tóquio. Simone Biles venceu somando 118.098 pontos nos dois dias de competição. A principal estrela da ginástica da atualidade liderou a classificação no salto e no solo e ficou em terceiro lugar nas barras assimétricas e na trave. 

Inclusive, o Olympic Trials soma as notas de dois dias, mas considerando apenas as rotinas deste domingo (27), Simone Biles perdeu sua primeira competição no individual geral desde a American Cup de 2013. Sunisa Lee conseguiu 58.166 pontos, contra 57.533 de Simone, que cometeu um erro grande nas assimétricas e caiu na trave.
Sunisa Lee nas barras assimétricas - Foto: Jeff Robertson/AP Photo
Lee ficou na segunda colocação, com 115.832 pontos na soma das oito apresentações. A ginasta é uma das favoritas ao ouro nas barras assimétricas em Tóquio e ficou no primeiro lugar do aparelho na seletiva com 15.300 e 14.900 pontos nas suas duas séries. Sunisa Lee também liderou a disputa na trave.

Jordan Chiles, parceira de clube de Biles, teve um grande crescimento em 2021, chegando na seletiva olímpica como uma das favoritas. O destaque foram para seus saltos cravados que receberam notas na casa dos 14.9 pontos. O terceiro lugar geral com 114.631 pontos foi suficiente para a comissão técnica convocá-la.
Jordan Chiles no primeiro dia da seletiva - Foto: Jeff Robertson/AP Photo
A quarta vaga estava em aberto antes do segundo dia da seletiva com cinco ginastas na briga. Quem conseguiu foi Grace McCallum, campeã mundial com a equipe em 2018 e 2019 e que tem feito apresentações consistentes na trave ao longo do ano. McCallum também tem notas boas no salto e no solo.
Grace tirou 14.166 no solo no primeiro dia da seletiva - Foto: Jeff Robertson/AP Photo
A expectativa era que a segunda vaga fosse para uma especialista e quem conseguiu foi MyKayla Skinner, competidora forte no salto e no solo e que pode competir os quatro aparelhos caso precise entrar na equipe como reserva. Skinner era a reserva na Rio 2016 e vai para sua primeira Olimpíada.
Skinner em sua série no solo - Foto: Jeff Robertson/AP Photo
Jade Carey, que já tinha sua vaga assegurada, competiu apenas nas barras assimétricas e na trave no segundo dia da competição. Mas no primeiro dia, a ginasta teve um bom desempenho no salto, conseguindo notas acima de 15 pontos.
As reservas da equipe serão: Kayla Di Cello, Kara Eaker, Emma Malabuyo e Leanne Wong.

Fotos: Jeff Robertson/AP Photo

Nenhum comentário:

Postar um comentário