Isaquias Queiroz é prata no C1 1000m e garante mais duas finais na Copa do Mundo de canoagem - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Isaquias Queiroz é prata no C1 1000m e garante mais duas finais na Copa do Mundo de canoagem

Compartilhe


É medalha! Isaquias Queiroz conquistou neste sábado (15) a medalha de prata no C1 1000m da Copa do Mundo de canoagem velocidade, em sua primeira competição internacional após quase dois anos. O baiano também se classificou para as finais do C1 500m e C2 1000m e puxou uma fila de bons resultados brasileiros no dia em Szeged, na Hungria, que contou com outros pódios na paracanoagem e vagas paralímpicas a Tóquio-2020


Atual campeão mundial do C1 1000m, Isaquias era o favorito para ficar com o ouro, ainda mais depois de vencer as duas primeiras baterias eliminatórias com tranquilidade. Ele, no entanto, não teve um bom início, chegou a aparecer na sétima colocação nos primeiros 250m e precisou fazer uma corrida de recuperação. Com remadas intensas, ultrapassou seus adversários e acabou na segunda colocação. 


O baiano anotou 4m00s49, exatos dois segundos atrás do alemão Conrad-Robin Scheibner, que disputa um lugar em Tóquio-2020 com o compatriota Sebastian Brendel, atual bicampeão olímpico. A medalha de bronze ficou com o tcheco Martin Fuksa. O cubano José Ramon Cordova e o francês Adrien Bart, finalistas no último Mundial, terminaram em quarto e em sétimo, respectivamente.



Isaquias ainda voltou a competir pela tarde, em duas provas. Ao lado de Jacky Godmann, ele venceu a bateria semifinal do C2 1000m com 3m45s14 e disputará a decisão, programada para às 07h03 (horário de Brasília) deste domingo. Sozinho, participou das eliminatórias do C1 500m (não-olímpica) e venceu a série com 1m50s70, também indo direto à final, que acontecerá às 07h36 deste domingo.


Jacky também disputou outra prova no dia, junto a Filipe Santana. Eles se classificaram para a final do C2 500m e terminaram na quarta colocação, com 1m43s16, a apenas 22 centésimos do pódio, que foi formado, em ordem: pelos espanhóis Cayetano Garcia/Pablo Martines, pelos húngaros Jonatan Hajdu/Adam Feketee e pelos ucranianos Vitaliy Vergeles/Andrii Rybachok.



Nas provas de paracanoagem, o Brasil também brilhou. Fernando Rufino conquistou sua segunda medalha de ouro competição, agora no KL2 masculino. Ele já havia vencido o VL2 masculino um dia antes. Luis Carlos Cardoso faturou o bronze no KL1 masculino, com 51s09, repetindo o resultado do Campeonato Mundial de 2019, que também aconteceu em Szeged.


E a delegação brasileira também faturou mais duas vagas paralímpicas, com Mari Christina Santilli e Adriana Gomes de Azevedo. Mari garantiu classificação no KL3 feminino ao ficar em sétimo lugar na final, enquanto Adriana foi sétima colocada no KL1 feminino. Agora, a paracanoagem brasileira já tem seis barcos garantidos em Tóquio-2020.


Foto de capa: Braca Sport

Nenhum comentário:

Postar um comentário